Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Baier admite mágoa com Furacão, mas se diz motivado por volta ao Criciúma

Criciúma (SC)

Em 2013, Paulo Baier carregou o Atlético-PR da parte de baixo do Campeonato Brasileiro a uma surpreendente vaga na Copa Libertadores da América. Mesmo assim, não renovou o seu contrato com a equipe rubro-negra e acertou sua volta ao Criciúma após 11 anos de sua primeira passagem. Apesar disto, o experiente meia revela que gostaria de ter permanecido no Paraná para a disputa do torneio continental e que guarda certa mágoa da diretoria do Furacão.

“Lógico que eu fiquei triste de sair do Atlético-PR, porque tínhamos combinado uma coisa e o que aconteceu foi totalmente diferente”, declarou Paulo Baier nesta quarta-feira, em entrevista ao programa Arena Sportv. “Eu, obviamente, gostaria de ter permanecido no Atlético-PR. Mas o que eu pude fazer lá, eu já fiz, e agora estou muito feliz aqui no Criciúma”, acrescentou.

Mesmo aos 39 anos, o meia foi o principal nome da excepcional campanha do Furacão no Campeonato Brasileiro do ano passado, que levou o clube de volta à disputa da Copa Libertadores da América. O presidente do Rubro-Negro, Mauro Celso Petraglia chegou, inclusive, a anunciar que renovaria o contrato do jogador – que se encerrava em dezembro -, mas depois voltou atrás.

Segundo a imprensa paranaense, o mandatário se irritou com a atuação da equipe na segunda partida da final da Copa do Brasil, quando foi derrotada por 2 a 0 para o Flamengo, no Maracanã, e elegeu Paulo Baier como um dos culpados. O jogador, então, não teve o seu vínculo renovado e acabou obrigado a procurar um novo clube. O escolhido foi o Criciúma.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Eleito o melhor meio-campista do último Brasileiro, Paulo Baier disse que gostaria de ter permanecido no Furacão

“O Atlético-PR faz parte do passado”, decretou Paulo Baier, antes de externar a felicidade em voltar à equipe de Heriberto Hülse – ele já jogou pelo Tigre em 1996/1997 e em 2002/2003. “Eu estou vivendo um bom momento na minha vida. A cidade de Criciúma está muito empolgada e eu também. Estou muito feliz em retornar para cá depois de 11 anos. Eu evolui em muitos fatores, e o clube também”, acrescentou.

Para encerrar, Baier contou que, mesmo aos 39 anos, ainda tem encontrado motivação para continuar jogando futebol. Ele, no último ano, chegou a agendar a sua aposentadoria para o fim de 2013, algo que não aconteceu. “Tenho muito fôlego ainda. Eu me sinto motivado, sim. Aos 39 anos, é tudo questão de buscar coisas novas para se motivar”, disse.

“E o que eu quero agora é jogar. A gente chega a um patamar no qual quer se divertir. Mas é lógico que é uma diversão com responsabilidade”, afirmou, antes de prosseguir. “O que eu pretendo é atuar com alegria, disposição. Vir para um clube no qual você tem a cidade inteira ao seu lado é muito bom. Motiva demais”, encerrou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade