Futebol/Copa do Mundo de 2014 - ( - Atualizado )

Blanc aponta favoritismo ao Brasil, mas vê França como potencial surpresa

Paris (França)

Nem mesmo a forte rivalidade entre Brasil e França fez com que Laurent Blanc omitisse sua verdadeira opinião. Nesta sexta-feira, o ex-zagueiro e atual treinador do Paris Saint-Germain apontou a Seleção comandada por Luiz Felipe Scolari como a principal favorita ao título da Copa do Mundo de 2014, mas alertou que os Bleus podem ser “uma agradável surpresa” na competição a ser disputada em solo brasileiro a partir de junho.

“Se eu tiver que apontar um favorito, este seria o Brasil. A França não faz parte dos favoritos, mas pode ser uma agradável surpresa no Brasil”, declarou Laurent Blanc, que foi o comandante da seleção francesa durante a primeira metade do ciclo para o Mundial de 2014. Ele ficou à frente do banco de reservas nacional entre 2010 e 2012, e antecedeu a chegada de outro nome emblemático de sua geração, o ex-capitão Didier Deschamps.

Esta geração de Blanc foi simplesmente a responsável por conquistar o único título mundial da França até agora, em 1998. No entanto, o defensor não entrou em campo na grande decisão, diante do Brasil, por causa de um cartão vermelho que recebeu na semifinal contra a Croácia. Dezesseis anos depois, o comandante do atual campeão francês usa aquela Copa para mostrar que os Bleus não podem ser descartados como postulante ao título de 2014.

AFP
Ex-treinador da seleção francesa, Laurent Blanc não hesitou em citar o Brasil como favorito à Copa de 2014

“Tudo pode acontecer em uma Copa do Mundo, e os franceses sabem muito bem disso. A seleção francesa tem condições de fazer um bom Mundial e deu muita sorte no sorteio”, ressaltou o ex-zagueiro, referindo-se ao fato de a França ter escapado de um possível grupo com três campeãs mundiais e integrado a chave E, que não conta com grandes forças – além dos Bleus, Honduras, Suíça e Equador fazem parte do grupo.

Por fim, Laurent Blanc ainda apontou outra seleção, que não a Brasileira, favorita a erguer a taça Fifa no dia 13 de julho, no Maracanã. E a escolhida foi uma equipe sul-americana. “A Argentina também é favorita. Tem ótimos jogadores e possui uma vantagem extra em relação às outras equipes: tem um jogador chamado Lionel Messi”, decretou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade