Futebol/Copa do Mundo 2014 - ( - Atualizado )

Blatter garante arenas em março e diz que Brasil fará “a melhor Copa"

São Paulo (SP)

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, que no último fim de semana criticou a lentidão do Brasil para entregar as obras referentes à Copa do Mundo de 2014, mudou o tom nesta sexta-feira, em entrevista ao canal da entidade máxima do futebol. O mandatário adotou uma postura otimista em relação à realização do Mundial.

“Estou na organização de Copas do Mundo desde 1978, e eu sei que no fim tudo estará pronto. Na Itália, em 1990, por exemplo, teve estádio que recebeu assentos com a competição em andamento. No Brasil, tenho certeza que todos os estádios estarão prontos em março, e teremos tempo suficiente para fazer alguns ajustes nessas modernas arenas, que irão corresponder às expectativas não somente dos torcedores, mas também dos jogadores”, disse.

Para o presidente, apesar da descrença de alguns, o Brasil sediará a “melhor Copa do Mundo da história”.

“A Copa das Confederações foi um aperitivo do que está por vir em 2014. Algumas pessoas duvidam do sucesso da organização da Copa do Mundo de 2014, (mas) ela será disputada em um continente chamado Brasil, que tem uma população de 200 milhões de pessoas. Todos amam futebol. O fato de a Copa do Mundo voltar ao país após 64 anos gera uma grande expectativa nos brasileiros”, afirmou.

AFP
A principal crítica de Blatter se baseou nos sete anos que o Brasil teve para organizar a Copa (foto: Fabrice Coffrini)
Blatter ainda elogiou o estádio do Maracanã, que sediará a final da competição, no dia 13 de julho, comparando-o a uma catedral.

“O Maracanã tem a filosofia do futebol. Quando você está no estádio, você sente algo diferente. A atmosfera é especial. É como entrar em uma catedral. Todas aquelas pessoas, torcedores... Você sente na pele, arrepia. Era impossível a Espanha ganhar. Não só pelo time muito bom que o Brasil tem, mas os torcedores criaram o novo Maracanã, com o velho espírito. Os brasileiros queriam ganhar pois lembravam da derrota em 1950”, completou.

As últimas críticas de Joseph Blatter sobre os atrasos na organização do Mundial causaram reações por parte do governo brasileiro. O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, evitou criar polêmicas e disse que os preparativos seguem em ritmo positivo. Já a presidente Dilma Rousseff afirmou que “o mundo acredita no Brasil”.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade