Futebol/Copa do Mundo - ( - Atualizado )

Catar tem 15 dias para apresentar melhorias trabalhistas à Fifa

Doha (Catar)

Diante das polêmicas envolvendo as condições de trabalho nas obras para a Copa do Mundo do Qatar, em 2022, a Fifa decidiu tomar uma atitude mais severa e estipulou um prazo de 15 dias para que o país do Oriente Médio entregue um relatório sobre as melhorias realizadas nos últimos meses. De acordo com a entidade, a aplicação de normas internacionais de comportamento é um dos princípios que devem ser respeitados a cada Mundial.

"A Fifa espera receber informações sobre os passos específicos que o Catar tem tomado desde a última viagem do presidente Joseph Blatter a Doha, em novembro de 2013, para melhorar o bem-estar e as condições dos trabalhadores migrantes. A aplicação das normas internacionais de comportamento é um princípio da Fifa, e isso é esperado por parte de todas as sedes de seus eventos", escreveu a Fifa em comunicado nesta quinta-feira.

De acordo com a Anistia Internacional, muitos imigrantes que chegaram ao Catar para as obras dos estádios para a Copa do Mundo estão sofrendo com as condições de trabalho. Os relatos apontam que não há pagamento de salários e as normas de alojamento são chocantes, além de situações em que os funcionários são colocados em jornadas perigosas.

Antes de apresentar o relatório do país no dia 13 de fevereiro, ao Parlamento Europeu, em Bruxelas, a Fifa também ressaltou a importância de que a Copa do Mundo pode ter com relação às transformações sociais do Catar. "A Fifa acredita firmemente no poder da Copa do Mundo para o desencadeamento de uma mudança social positiva no Catar, incluindo a melhoria dos direitos e condições dos trabalhadores migrantes", completa o comunicado.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade