Futebol/Copa do Mundo de 2014 - ( - Atualizado )

Cavani se motiva por novo Maracanazo: “É um sonho que podemos ter”

Paris (França)

Sessenta e quatro anos depois, o jogo mais trágico da história do futebol brasileiro volta a virar assunto recorrente quando se fala em Copa do Mundo. Às vésperas do Mundial de 2014, o atacante uruguaio Edinson Cavani, por exemplo, admite que usa o ‘Maracanazo’ como motivação para repetir, nesta temporada, o que seus compatriotas fizeram em 1950, quando se sagraram campeões mundiais superando a Seleção Brasileira na grande final, dentro do Maracanã. A possibilidade de conquistar o tri com nova vitória sobre o Brasil no estádio carioca é um sonho para o atleta do Paris Saint-Germain.

“Pelo que significa para a história, ganhar uma Copa no Brasil atuando como atleta do presente certamente seria algo lindo. Mas não gosto de pensar no que pode vir a ser. Repetir 1950 é um sonho que podemos ter. E os sonhos, como se diz, são gratuitos, coisas que te estimulam para poder crescer. Então, quem sabe o que vai acontecer?”, admitiu o uruguaio, adotando um tom misterioso.

Para chegar até uma possível final diante do Brasil, porém, a Celeste terá que passar por seis adversários. Os três primeiros, aliás, já estão definidos: Itália, Inglaterra e Costa Rica, que a acompanham no Grupo D da Copa do Mundo, o primeiro da história a ter três campeãs mundiais. Por isto, Cavani evitar fazer prognósticos e exalta o fato de simplesmente disputar o maior torneio de futebol do planeta.

AFP
Autor de um gol na semifinal da Copa das Confederações, Cavani foi, por alguns minutos, carrasco brasileiro

“Às vezes, não aproveitamos o momento de pensar que hoje o Uruguai, depois de um longo caminho de quatro anos de muito sacrifício, classificou-se para o Mundial, depois de também jogar a Copa de 2010. Hoje só se pensa no nosso grupo da primeira fase, que vai ser complicado, se vamos ter sorte... Sinceramente, não gosto disso. Prefiro aproveitar e viver o momento de hoje, saber que Uruguai se classificou e estar feliz por isso”, decretou.

Cavani foi um dos destaques da excelente campanha do Uruguai na Copa do Mundo de 2010, na África do Sul. Ele atuou em seis das sete partidas da equipe na competição, e, apesar de ter anotado somente um gol, formou, ao lado de Luis Suárez e Diego Forlán, um dos ataques mais temidos do Mundial. No fim, a Celeste chegou até a semifinal e foi eliminada pela Holanda, amargando o quarto posto após derrota para a Alemanha na decisão do terceiro lugar. Para o Mundial de 2014, porém, Cavani e a própria seleção uruguaia chegarão com uma confiança ainda maior, alimentada pelo título da Copa América de 2011 e a boa campanha na Copa das Confederações de 2013.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade