Futebol/Campeonato Mineiro - ( - Atualizado )

Cruzeiro completa 93 anos de história nesta quinta-feira

Belo Horizonte (MG)

Completando 93 anos de história nesta quinta-feira, o Cruzeiro tem motivos de sobra para comemorar. Após o tricampeonato brasileiro conquistado na última temporada, o clube promove a tradicional missa de ação de graças, que será realizada na sede social do clube e contará com a presença do presidente Gilvan de Pinho Tavares.

Uma década após a Tríplice Coroa, a Raposa voltou a tomar conta do Brasil em 2013. Em campanha inquestionável, o clube celeste conquistou mais uma estrela ao assegurar o tricampeonato brasileiro, tendo o melhor ataque do torneio, com 77 gols. O melhor jogador da competição e o melhor técnico foram cruzeirenses: Éverton Ribeiro e Marcelo Oliveira. No final do ano, o fracasso do rival Atlético-MG diante do Raja Casablanca, no Mundial de Clubes, ainda corroborou para a festa do torcedor azul.

Fundado em 1921 por colonos italianos, inicialmente o clube celeste recebeu o nome de Sociedade Esportiva Palestra Itália. A mudança para Cruzeiro Esporte Clube ocorreu apenas duas décadas depois, em 1942, quando a Segunda Guerra Mundial estourou na Europa.

Divulgação/Cruzeiro E. C.
No Estádio Nacional do Chile, Nelinho, Eduardo e Joãozinho marcaram e o Cruzeiro conquistou a Libertadores em 76

O primeiro título nacional foi conquistado em 1966, com a Taça Brasil, que seria reconhecida posteriormente pela CBF como referente ao título brasileiro. As vitórias por 6 a 2 e 3 a 2 nos dois jogos da final contra o Santos de Pelé fecharam com chave de ouro a campanha invicta e coroaram o Cruzeiro com seu primeiro título brasileiro.

Dez anos depois, após três vice-campeonatos nacionais, a Raposa foi mais longe e tomou conta da América. Em 1976, o Cruzeiro venceu o River Plate no Mineirão por 4 a 1 na primeira partida da decisão da Libertadores, mas acabou derrotado no segundo jogo por 2 a 1. A finalíssima disputada em Santiago, no Chile, foi decidida apenas aos 43 minutos do segundo tempo, quando Joãozinho fez 3 a 2 para o clube celeste e garantiu a taça internacional.

Divulgação/Cruzeiro E. C.
Em 1997, taça do bicampeonato da Libertadores foi levantada por Ademir no Mineirão
Após a conquista da principal competição continental, porém, o Cruzeiro viveu período de seca de títulos nacionais e internacionais e, mesmo com as conquistas estaduais, o torcedor celeste queria taças mais importantes. Nos início da década 90, então, o clube reencontrou as grandes glórias, com dois títulos da Copa do Brasil, o bicampeonato da Supercopa, mais um título da Libertadores e com a Recopa Sul-Americana.

A saga vitoriosa continuou nos anos 2000, e o Cruzeiro ganhou mais duas Copas do Brasil. Em 2003, o clube cravou a Tríplice Coroa, conquistando o Campeonato Mineiro, o tetra da Copa do Brasil e o segundo Campeonato Brasileiro, no qual marcou 102 gols e teve 72,5% de aproveitamento, o melhor da história dos pontos corridos.

Assim, com 93 anos de história, o Cruzeiro Esporte Clube é o único mineiro bicampeão da Libertadores. Além disso, tem sete títulos nacionais, sendo inclusive o maior vencedor da Copa do Brasil, ao lado do Grêmio, com quatro taças. A Raposa ainda detém o maior público da história do Mineirão, onde mais de 132 mil pessoas assistiram à vitória por 1 a 0 sobre o Villa Nova, na final do Campeonato Mineiro de 1997.

Divulgação/Cruzeiro E. C.
Em 2003, Cruzeiro chegou aos 100 pontos no Campeonato Brasileiro e conquistou a Tríplice Coroa

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade