Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

DIS se julga enganado por Neymar e suspeita de renúncia de Rosell

Santos (SP)

O DIS, braço esportivo do Grupo Sonda e ex-detentor de 40% dos direitos de Neymar, se julga enganado pelo pai do atacante negociado pelo Santos com o Barcelona. Roberto Moreno, advogado da empresa, ainda levantou suspeitas em torno da renúncia de Sandro Rosell à presidência do clube espanhol.

“Nos sentimos muito enganados e tristes, porque ajudamos bastante o Neymar. O pai dele trabalhava na construção civil e tínhamos um carinho muito grande por ele. Ajudamos a família toda. Compramos (40%) dos direitos econômicos do atleta por R$ 5 milhões, o que na época (2009) deixava uma pessoa rica no Brasil”, disse Moreno em entrevista à rádio La Xarxa, de Barcelona.

Sem receber o que considera justo na negociação com o Barcelona, o representante da DIS criticou Neymar pai. “Não fala mais com a gente, não liga mais. Está fazendo tudo para prejudicar quem mais o ajudou, incentivou e acreditou nele. Isso é muito triste para nós”, declarou o advogado.

De acordo o DIS, o empresário André Cury, na condição de representante oficial do Barcelona, chegou a oferecer 6 milhões de euros em troca do silêncio da empresa, que não aceitou a proposta e agora reúne documentos para entrar na Justiça.

AFP
O DIS, que detinha 40% dos direitos do atacante Neymar, se julga enganado pelo família do jogador. Foto: Josep Lago
Em meio à polêmica em torno da transferência de Neymar ao Barcelona, Sandro Rosell tomou a decisão de renunciar ao cargo de presidente do clube espanhol. A atitude do dirigente leva Roberto Moreno a crer em irregularidades na negociação que levou o atacante à Catalunha.

“Se não existe problema, por que renunciou? É muito estranho. Se não houve nada de errado, por que ele acabou saindo de Barcelona com sua família para Londres? Tem alguma coisa que precisamos descobrir exatamente o que é para que todos saibam o que efetivamente aconteceu”, declarou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade