Futebol - ( - Atualizado )

Em festa com toque brasileiro, Cristiano tenta tomar a Bola de Ouro

Zurique (Suíça)

Cristiano Ronaldo sempre julga ser o melhor do mundo. Na cerimônia a ser realizada em Zurique, a partir das 15h30 (de Brasília) de segunda-feira, ele espera ouvir a Fifa dizer o mesmo. Pela primeira vez desde que ganhou sua única Bola de Ouro, em 2008, ele entra como favorito na disputa com Lionel Messi, vencedor das quatro últimas edições do prêmio. Franck Ribéry completa a lista de indicados.

Por causa da disputa da Copa do Mundo no Brasil daqui a cinco meses, a festa de gala terá um toque verde-amarelo. Está prevista a presença dos ex-jogadores Pelé, Amarildo, Carlos Alberto Torres, Bebeto, Cafu e Ronaldo, representando os cinco times brasileiros campeões do mundo. Haverá ainda apresentação musical de Marc Sway, suíço com ascendência brasileira que mostrará seu talento no soul.

É possível que esse time tenha dificuldade de competir com Fernanda Lima pela atenção do planeta. A modelo e apresentadora brasileira, com presença marcante no sorteio dos grupos do Mundial de 2014, no mês passado, agradou e foi acionada pela Fifa para comandar a Bola de Ouro ao lado do ex-jogador holandês Ruud Gullit no palco da Kongresshaus.

AFP
Votam na Bola de Ouro jornalistas, técnicos e capitães de seleções, com peso igual
Se tudo correr como espera Ronaldo, a festa da Fifa em parceria com a revista France Football vai terminar com ele premiado. O português teve um dos melhores anos de sua carreira do ponto de vista individual, com impressionantes 69 gols em 59 jogos, e decidiu a classificação da seleção portuguesa à Copa com um desempenho espetacular na repescagem contra a Suécia. O problema é que nenhum troféu foi levantado.

O Real Madrid não ganhou nada, e tudo o que Portugal comemorou foi uma suada volta ao maior país que colonizou. Esses resultados não tiram a confiança do atacante, que lembra: o prêmio é pessoal, não coletivo. “Se mereço ganhar? Sim, como no ano passado ou como há dois anos. Creio que mereço ganhar a Bola de Ouro todos os anos”, disse o atleta de 28 anos, que não nasceu na Vila Brasilândia, mas tem seu quê de Viola.

Com o sucesso coletivo como principal critério, o favoritismo passa ao francês Franck Ribéry, que conquistou cinco títulos no ano com o Bayern de Munique – entre eles, o mais valorizado na premiação, a Liga dos Campeões. O argumento contrário ao meia-atacante de 30 anos é justamente que os ótimos resultados do clube alemão são fruto de um esforço conjunto, não exclusivamente de seu futebol.

No meio-termo está Lionel Messi. O vencedor das últimas quatro edições da Bola de Ouro tem um talento inquestionável, mas sofreu contusões que atrapalharam bastante. O atacante de 26 anos desfalcou o Barcelona em momentos importantes e jogou baleado em outros. O time claramente sentiu a sua falta e, ainda assim, levantou dois troféus, vantagem considerável em relação a Ronaldo.

A dúvida será tirada no palco da Kongresshaus, onde também serão laureados o melhor técnico, a melhor jogadora, o melhor técnico de equipe feminina e o autor do gol mais bonito. Haverá ainda a seleção da temporada e prêmios por contribuições altruístas ao futebol e pela promoção dos princípios da esportividade.

Confira os indicados aos principais prêmios:

Bola de Ouro
Cristiano Ronaldo (Portugal)
Lionel Messi (Argentina)
Franck Ribéry (França)

Jogadora do ano
Nadine Angerer (Alemanha)
Marta (Brasil)
Abby Wambach (Estados Unidos)

Treinador do ano
Alex Ferguson (Escócia)
Jupp Heynckes (Alemanha)
Jürgen Klopp (Alemanha)

Treinador de equipe feminina
Ralf Kellermann (Alemanha)
Silvia Neid (Alemanha)
Pia Sundhage (Suécia)

Autor do gol mais bonito – Prêmio Puskas
Zlatan Ibrahimovic (Suécia)
Nemanja Matic (Sérvia)
Neymar (Brasil)

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade