Futebol/Copa do Mundo - ( )

Em São Paulo, brasileiro tenta garantir vaga na Copa pelos EUA

Bruno Ceccon São Paulo (SP)

Nascido no Rio de Janeiro, Benny Feilhaber é um dos 26 jogadores convocados por Jurgen Klinsmann para um período de aclimatação no Centro de Treinamento do São Paulo. O treinador, campeão mundial pela Alemanha como atacante, procura valorizar a estadia na capital paulista.

“Aqui, ele pode provar a nós que merece voltar ao Brasil. As portas estão abertas. No futebol, as portas estão sempre abertas. Esses 26 jogadores têm a chance de mostrar nas próximas duas semanas que merecem disputar a Copa do Mundo, e o Benny é um deles”, disse Klinsmann.

Com Benny ainda criança, sua família fixou residência nos Estados Unidos. Aos 28 anos, o meio-campista já defendeu a seleção norte-americana como naturalizado em competições como os Jogos Olímpicos de Pequim-2008, a Copa das Confederações da África do Sul-2009 e o Mundial da África do Sul-2010.

Depois de iniciar a carreira no Hamburgo, Benny passou pela Inglaterra e pela Dinamarca antes de retornar aos Estados Unidos para atuar na Major League Soccer (MLS). Atual jogador do Sporting Kansas City, ele precisa demonstrar maior regularidade se quiser disputar a Copa do Mundo em sua terra natal.

“O Benny é muito talentoso. Sempre dizemos a ele que deve ser mais consistente. Mostre o seu talento não a cada 10 ou 12 minutos, mas a cada dois minutos. É nisso que estamos trabalhando. No Kansas City, ele tem um técnico muito bom, que o motiva a estar mais envolvido no jogo de forma constante”, explicou Klinsmann.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Nascido no Rio de Janeiro, o meio-campista Benny Feilhaber quer disputar mais uma Copa pelos EUA
A seleção dos Estados Unidos costuma aproveitar o período de inatividade da MLS no começo do ano para treinar – do grupo de 26 jogadores que está no Brasil, apenas Mix Diskerud, do norueguês Rosenborg, joga fora dos Estados Unidos. Sem os atletas que atuam na Europa, a chance para os aspirantes a um lugar no Mundial aumenta.

Além de selecionar jogadores para a convocação final, Klinsmann e sua comissão aproveitarão os 12 dias no Brasil para estudar detalhes logísticos e elaborar o planejamento. Integrantes da delegação devem visitar Natal, Manaus e Recife, sedes dos jogos dos Estados Unidos na primeira fase do Mundial.

A seleção norte-americana tem um jogo treino marcado para quinta-feira diante do São Paulo e, no dia 1º de fevereiro, já nos Estados Unidos, enfrenta a Coreia do Sul em mais um amistoso. Integrante do Grupo G da Copa do Mundo ao lado de Gana, Portugal e Alemanha, o time estreia no dia 16 de junho, contra os africanos, em Natal.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade