Futebol - ( - Atualizado )

Em treino sem reservas, Mano saca Rodriguinho e mexe no Corinthians

Marcos Guedes São Paulo (SP)

Mano Menezes fez lembrar os tempos de Tite na manhã desta sexta-feira, no CT do Parque Ecológico. Em crise após a derrota por 5 a 1 para o Santos, o técnico fez um treino tático sem adversário, marca registrada de seu antecessor, e retomou ao menos em parte o esquema adotado nos últimos anos.

Ficou para trás o 4-4-2 nos moldes dos primeiros jogos da temporada. Danilo centralizou a armação das jogadas, com Romarinho de um lado e Emerson do outro. Rodriguinho perdeu espaço, e também entrou no time o lateral direito Fagner, como já era esperado após a atuação - considerada por muitos desastrosa - de Diego Macedo na última quarta-feira.

Os atacantes de beirada não ficaram tão abertos quanto nos tempos de Tite, mas a atividade teve muitas das triangulações que tanto pregava o último técnico alvinegro. A formação foi esta: Walter; Fagner, Gil, Paulo André e Uendel; Ralf , Guilherme e Danilo; Romarinho, Guerrero e Emerson.

Em certo momento do treino, Mano chamou Cleber e o colocou no lugar de Paulo André. Alexandre Pato substituiu Emerson, e o técnico não quis confirmar a equipe que escalará contra a Ponte Preta, no domingo, em Campinas. “Trabalhamos com 13 jogadores. Entre eles, estará a formação”, afirmou.

Divulgação/Agência Corinthians
Segundo Mano, Romarinho terá uma responsabilidade maior na armação (foto: Daniel Augusto Jr.)
O treinador procurou se manter distante das memórias de seu antecessor. Ele negou que o esquema seja o mesmo das últimas temporadas e sustentou que a equipe continua adotando o sistema das partidas anteriores, algo difícil de ser observado na atividade de quinta.

“Não. Não voltou o esquema do ano passado. Estamos posicionando os jogadores de maneira um pouco diferente, dentro da ideia com que estávamos jogando até agora, com dois meias e dois atacantes”, disse Mano, explicando que Romarinho foi recuado para a armação.

“O Emerson entrou no lugar do Rodriguinho, mas não para fazer a função do Rodriguinho. O Romarinho vai jogar um pouco mais atrás, como um ponta de lança, porque busca sempre um jogador de aproximação para o Paolo Guerrero. Não gosta de um ponta de um lado, outro do outro, porque os jogadores ficam distantes e isso causa problemas que estamos tentando solucionar”, comentou o gaúcho.

De fato, o esquema trabalhado no treinamento tático não é o 4-2-3-1 de Tite, mas foi difícil observar o sistema descrito por Mano. Ao que tudo indica, o Corinthians tentará a recuperação no 4-3-3, com a equipe armada no início do treino.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade