Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Emerson lamenta "apagão" e se controla "para não falar besteira"

Marcos Guedes Santos (SP)

Emerson não resolveu os problemas do Corinthians no segundo tempo, mas não fugiu das entrevistas após a derrota por 5 a 1 para o Santos. O atacante foi, entre os derrotados, aquele que mais se dedicou a dar explicações sobre a péssima atuação da equipe do Parque São Jorge.

“Ninguém gosta de perder. Reconhecemos a superioridade do Santos. Foi um dia atípico. Todos nós que entendemos de futebol sabemos que não é normal. Deu um apagão, sentimos os gols. Tem que ter a grandeza de trabalhar porque temos toda a competição pela frente, e o Corinthians entrou para ser campeão”, afirmou.

Foi o máximo que o Sheik conseguiu. “É preciso ter tranquilidade para não colocar nenhuma palavra agora. Achar uma palavra neste momento, com a cabeça quente, derrotado, é difícil. Vamos esperar um pouquinho para não falar besteira. O certo é que o Corinthians é muito grande e se inicia de novo o trabalho amanhã.”

Walter apresentou frases mais ou menos parecidas com a do camisa 11 na saída do gramado da Vila Belmiro. Segundo ele, o gol levado no início da etapa final, que deixou os donos da casa em vantagem de 3 a 1, acabou derrubando os visitantes e os lançando de maneira suicida à frente.

“Precisávamos ir para tentar o resultado, tínhamos que ficar expostos mesmo. A gente tentou buscar no segundo tempo, mas tomamos o terceiro gol, e a casa caiu. Aí, foi por água abaixo”, comentou o goleiro. “Infelizmente, nada deu certo. A bola espirrava e caía nos pés deles”, concluiu.

Divulgação/Agência Corinthians
Poucas coisas deram certo para Rodriguinho e o Corinthians em Santos (foto: Daniel Augusto Jr.)

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade