Futebol/Bastidores - ( )

Galo volta a reclamar do Governo e quita salários de dezembro

Belo Horizonte (MG)

A diretoria do Atlético-MG aceitou negociar Bernard com o Shakhtar Donetsk após a Copa Libertadores da América para tentar resolver problemas financeiros. Parte do dinheiro investido pelos ucranianos foi bloqueada pela Fazenda Nacional e complicou ainda mais a situação dos cofres atleticanos. Neste domingo, porém, o Galo anunciou ter conseguido quitar os salários atrasados de novembro.

“Teve pagamento de mais um mês, e agora praticamente tem mais um mês de atraso, no caso, o de dezembro. E estamos iniciando janeiro. O presidente Alexandre Kalil é preocupado com isso, gosta de honrar seus compromissos, é uma característica do presidente. Ele tem feito todo esforço para que tudo seja resolvido”, afirmou o diretor jurídico Lázaro Cândido Cunha à rádio Itatiaia.

O dirigente também aproveitou para reforçar as críticas e os apelos feitos por Kalil nos últimos dias contra o bloqueio promovido pelo Governo Federal. Segundo Lázaro, o Galo só tem de encarar séria crise financeira neste momento devido à retenção do dinheiro da venda de Bernard. Kalil apelou até à presidente Dilma Rousseff, atleticana declarada, para desbloquear os R$ 54 milhões.

“Está comprovado que, se você faz um bloqueio na conta que financia seu clube, ninguém faz milagre. Por essa razão, o Governo tem que entender que na liberação desse bloqueio absurdo, ele próprio ganha, porque você tem um fluxo que alimenta o mercado, as empresas e os jogadores recebem, o clube movimenta dinheiro. Estamos trabalhando para resolver a questão o mais rápido possível”, garantiu.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade