Futebol/Copa do Mundo de 2014 - ( - Atualizado )

Ibrahimovic volta a lamentar ausência na Copa: “Ainda mais no Brasil”

Paris (França)

A Suécia foi derrotada por 3 a 2 para Portugal, no jogo de volta da repescagem europeia para a Copa do Mundo de 2014, no dia 19 de novembro. Quase dois meses depois do tropeço que tirou a seleção escandinava do Mundial, Zlatan Ibrahimovic ainda lamenta não poder disputar o principal torneio de futebol do planeta. Desta vez, o atacante citou o Brasil como fator que aumenta a sua decepção.

“Eu ainda estou desapontado por não jogar a Copa do Mundo. Todos querem jogar uma Copa do Mundo, é claro. Eu lembro que joguei as Copas  no Japão e na Alemanha. Só o fato de estar lá, a sensação é incrível. Seria ainda mais agora que a Copa é no Brasil, de onde vem o melhor futebol”, disse o sueco, em entrevista ao programa Sportv News.

Ibra seguiu exaltando o país-sede da próxima Copa e revelou quem é o seu maior ídolo no futebol pentacampeão mundial. “Não estou elogiando só porque você é um jornalista brasileiro. Mas, pra mim, o bom do futebol no Brasil é esse samba, os jogadores que vocês tiveram. O meu favorito é o Ronaldo”, acrescentou.

AFP
Quarto melhor jogador do mundo em 2013, Ibrahimovic ainda não aceitou a sua ausência na Copa do Mundo

Na última segunda-feira, durante a Festa Gala da Fifa, que elegeu Cristiano Ronaldo como o melhor jogador do mundo em 2013, o atacante sueco foi congratulado com o Prêmio Puskas, que é entregue ao gol mais bonito do ano. Com o tento de bicicleta anotado de fora da área no amistoso contra a Inglaterra, ainda em 2012, Ibrahimovic superou concorrentes como Neymar e foi laureado através de votos da internet.

O sueco agradeceu a escolha dos fãs e prometeu seguir tentando anotar golaços como aquele. “Você tenta um monte de vezes fazer gols malucos e não é sempre que se tem sucesso. Eu tentei e consegui, e isso fica pra história. Fico muito feliz!”, admitiu, antes de exaltar o fato de estar vestindo a camisa 10 do Paris Saint-Germain, campeão francês e líder da atual edição da Ligue One com cinco pontos de vantagem sobre o segundo colocado, Mônaco.

“Eu sempre sonhei em ter o número 10. Toda vez que eu ia pegar a 10, eu mudava de clube. Essa é a primeira vez que estou usando o número 10, estou muito feliz. Não importa como é o seu futebol, se você usa o número 10 ou o número 9, número 7, número 11. Eu vejo os jogadores pelo número”, encerrou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade