Futebol/Mercado - ( - Atualizado )

Lúcio rescinde com São Paulo e fica livre para jogar no Palmeiras

Tossiro Neto e William Correia São Paulo (SP)

Conforme se esperava, Lúcio rescindiu contrato com o São Paulo. Após acordo entre as partes firmado antes ainda do Natal, o zagueiro, que tinha vínculo até o final de 2014, agora fica livre para acertar com outro clube, o qual muito provavelmente deverá ser o Palmeiras.

José Carlos Brunoro, diretor executivo da equipe alviverde, atendeu à GE.net rapidamente por telefone e avisou que não se pronunciaria.

A última atuação de Lúcio foi em 24 de julho, em derrota para o Internacional, no Morumbi. Depois disso, o técnico Paulo Autuori, antecessor de Muricy Ramalho, comunicou casos de indisciplina do defensor e pediu à diretoria que o afastasse.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Zagueiro estava afastado pelo clube desde julho
Apesar dos relatos negativos, o Palmeiras se mostrou interessado em sua contratação nesta reta final de temporada. Já havia, a propósito, tentado contratá-lo antes do São Paulo, no fim de 2012, quando Lúcio estava de saída da Juventus (Itália). O rival, porém, negociou mais rapidamente e ofereceu mais vantagens.

Além do salário de R$ 300 mil, o jogador tinha um complemento em seus vencimentos bancado por uma empresa de cartões de crédito. Embora ele tenha tido que aceitar redução financeira drástica em comparação com o que recebia no futebol europeu, o São Paulo firmou parceria com uma rede de concessionárias para lhe dar uma BMW X6, carro importado de sua escolha.

Dentro de campo, no entanto, Lúcio não correspondeu. Mas os principais problemas foram fora dele. Depois de ter sido afastado, Lúcio passou inicialmente a treinar em horários diferentes doelenco. Mais tarde, a diretoria não gostou do fato de ele ter levado um personal trainer ao CT da Barra Funda e o liberou para se cuidar fisicamente fora do clube. Em busca de uma nova equipe, ele continuou fazendo academia.

O beque diz ter sido injustiçado no São Paulo e nega as acusações de que fazia mal à "saúde do vestiário", como dizia Autuori. Mas, ciente de que não teria nova oportunidade com a camisa tricolor, mesmo com a saída do antigo treinador – ao chegar, Muricy também não o reintegrou –, ele decidiu procurar outro time. Que não deve ficar muito longe, já que o Palmeiras é vizinho de CT do rival.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade