Futebol/Bastidores - ( )

Mano exalta elenco e não se preocupa com ‘escassez’ de reforços

Bruno Landi, especial para a GE.net São Paulo (SP)

Quem compara as contratações feitas pelo Corinthians nos últimos dois anos percebe que o clube teve uma atuação muito mais discreta neste mercado de transferências. Até aqui, apenas o lateral-esquerdo Uendel, ex-Ponte Preta, e o zagueiro Wanderson, ex-Sertãozinho, foram anunciados como novos jogadores do time alvinegro para temporada. Porém, esta ‘escassez’ de reforços não preocupa Mano Menezes.

Em entrevista coletiva concedida após o treinamento da última sexta-feira, no CT Dr. Joaquim Grava, o treinador preferiu exaltar o elenco que tem à disposição do que lamentar a falta de contratações de peso para 2014. Vale lembrar que, no mercado de janeiro de 2013, o Timão anunciou as chegadas de jogadores como Alexandre Pato, que estava no Milan, da Itália, Renato Augusto, ex-Bayer Leverkusen, da Alemanha, e Gil, que atuava pelo francês Valenciennes.

“Quando se gasta mais em um ano, é normal que não se tenha muito no outro. Em 2013, o Corinthians desembolsou quase R$ 60 milhões, um valor que está fora dos padrões brasileiros. Neste ano, não temos essa condição, então estamos tentando encontrar qualidade em jogadores promissores, que venham para o clube para se afirmar”, explicou. “Esta é a realidade do momento, até porque já temos atletas consagrados no nosso elenco. Não sou técnico de ficar reclamando. Sabia como as coisas estavam quando fui contratado. Comigo é assim: o combinado não é caro”, acrescentou.

Divulgação/Agência Corinthians
Mano Menezes minimizou a discreta atuação do Corinthians no mercado de transferências do futebol brasileiro

Além de Uendel e Wanderson, apenas mais dois atletas devem ser oficializados pelo Corinthians para a disputa do primeiro semestre de 2014: o lateral-direito Fagner, ex-Vasco, e o volante Bruno Henrique, que jogou o último Campeonato Brasileiro pela Portuguesa, mas pertence ao Londrina, do Paraná. Isto porque o Timão vive um momento financeiro delicado. Na última sexta, inclusive, o diretor de finanças do clube, Raul Corrêa da Silva, revelou em entrevista à ESPN Brasil que o Timão possui uma divida de cerca de R$ 10 milhões.

Apesar disto, Mano Menezes projeta um ano vencedor. Ele, porém, ainda se recusa a pensar em conquistar uma vaga para a Copa Libertadores da América. “Quando eu cheguei, disse que um dos meus objetivos era fazer o Corinthians continuar vencendo. Falar em Libertadores agora é um pouco cedo porque o Campeonato Paulista não te dá uma vaga para essa competição. Então vamos primeiro jogar o Estadual, depois a Copa do Brasil, que essa sim te dá um possiblidade, mas só que lá na frente, e na sequência o Brasileiro”, disse o comandante, antes de encerrar com bom-humor: “Vamos por parte, como diria o Jack (o Estripador – assassino inglês do século 19 que costumava dizer esta frase antes de executar suas vítimas)”.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade