Futebol - ( )

Com "novos parâmetros", Mano não quer comparação com time de 2012

Marcos Guedes São Paulo (SP)

Mano Menezes sabe que será complicado suceder Tite, muito festejado pela torcida do Corinthians nos jogos de despedida. Ele só espera, após um semestre tão ruim que causou a saída de seu vitorioso antecessor, que as comparações não sejam feitas com a equipe campeã mundial em 2012.

“Passou um ano, temos novos parâmetros. Temos um novo campeão brasileiro, um novo campeão da América”, advertiu. “A visão do clube é estar entre os principais clubes do Brasil, da América e do mundo. Queremos chegar de novo a esse patamar, é para isso que vamos trabalhar.”

Esse foi um ponto tocado várias vezes por Mano em sua apresentação. O trabalho não é propriamente manter o alto nível, mas recuperá-lo. Ele usou os exemplos dos dois times brasileiros que terminaram 2012 festejando e chegaram ao final da temporada seguinte com outro sabor.

“No futebol, não existem garantias. Temos casos bem objetivos disso. Você é campeão no ano anterior, mantém o grupo, qualifica até esse grupo, mantém o técnico, e o ano seguinte é diferente. As cabeças mudam, é natural que o ser humano seja assim”, afirmou, referindo-se ao próprio Corinthians. “Quem foi o campeão brasileiro do outro ano? O Fluminense? Pois é. Agora, até a última rodada, esteve rebaixado”, acrescentou.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Mano Menezes conversou com Tite e ouviu do antecessor detalhes sobre o elenco do Corinthians
Para reverter o processo observado no último semestre, Mano conversou com Tite. Ele não divulgou detalhes do papo gaúcho, mas ouviu um diagnóstico do homem que conduziu o time até dezembro. O novo treinador já avisou que fará o que foi contratado para fazer, mudanças.

De qualquer maneira, o próprio técnico sabe que terá de conviver com certa nostalgia da torcida em relação a um dos grandes comandantes de sua história. Sua própria trajetória em preto e branco, com uma boa passagem entre 2008 e 2010, ajuda, mas ela não será suficiente para evitar a sombra.

“Falar do trabalho do Tite no Corinthians é extremamente desnecessário. É um trabalho extremamente vencedor. Vejo com ótimos olhas que se tenha aprendido a reconhecer o trabalho de um profissional. Nós, técnicos, somos tão duramente criticados. Fico feliz que tenha acontecido esse tipo de comportamento e consideração, porque ele merece”, afirmou Mano.

“Substituí-lo, óbvio, não é tarefa fácil. Mas o Corinthians entendeu que, por conhecer a casa e ter a trajetória que eu tenho, deveria estar aqui para fazer isso. Vou fazê-lo. Sabemos como é o futebol e o que o torcedor quer: resultado. Temos que dar a ele o que ele quer. Temos capacidade para fazer isso e vamos fazer”, concluiu.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade