Futebol/Mercado - ( - Atualizado )

Marquinhos Gabriel diz que trocou rivais pelo centenário palmeirense

William Correia São Paulo (SP)

O sétimo reforço do Palmeiras no centenário personifica o que a diretoria considera uma das maiores evoluções da administração. Marquinhos Gabriel terminou o Brasileiro pelo Bahia dizendo que gostaria de jogar no Corinthians e chegou a conversar com o São Paulo, mas sempre disse convicto em realizar o desejo de jogar vestindo verde em 2014.

“Escolhi o Palmeiras pelo centenário, pelo desafio e pela grandeza do clube, um gigante do futebol brasileiro e mundial. Aconteceram conversas com outras equipes, mas a minha vontade sempre foi vestir essa camisa e dar muitas alegrias ao torcedor”, disse o meia, apresentado e que vestiu a camisa 40 alviverde oficialmente pela primeira vez nesta quinta-feira.

“Tem que estar preparado para vestir essa camisa e me sinto preparado no momento. Farei o possível, vou me doar a todo momento. O maior desafio é ganhar títulos”, continuou o atleta, que tem parte de seus direitos econômicos ligados a um grupo de empresários e acertou contrato de um ano com o Verdão.

Logo na primeira entrevista, tratou de explicar a razão de, há pouco mais de um mês, ter ressaltado o desejo de atuar pelo arquirrival do Palmeiras. “Eu poderia ter sido mais claro. Todo jogador sonha em jogar no eixo Rio-São Paulo e comigo não é diferente. Aqui estão os grandes clubes do Brasil e é onde há grande visibilidade. Foi isso”, justificou. “Conversei com Corinthians, São Paulo e Cruzeiro, mas a minha vontade foi acertar com o Palmeiras e estou muito feliz.”

Divulgação
Meia conversou com Corinthians e São Paulo (Crédito da foto: Daniel Romeu/Ag. Palmeiras/Divulgação)
Apesar da vontade indicada por Marquinhos Gabriel e seus representantes, o meia está há uma semana treinando na Academia de Futebol, centro de treinamento do Palmeiras, e só assinou contratou nessa quarta-feira. “Eu não tinha medo de que não ia dar certo. O meu empresário me passou toda segurança e eu estava ansioso para ser apresentado logo e me preparar para uma boa temporada”, disse.

O meia garante que pode jogar mais do que quando foi destaque do time que manteve o Bahia na primeira divisão do Brasileiro. “Espero fazer aqui muito mais do que fiz no Bahia. Não fiz uma temporada excepcional, mas foi boa e, agora, quero fazer muito mais para merecer a confiança do doutor Paulo (Nobre, presidente) e do (diretor executivo José Carlos) Brunoro. A cada treinamento e jogo, espero cair nas graças da torcida e ajudar o Palmeiras”, prometeu.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade