Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Mesmo sem ver direito de reclamar, Mano aponta erros cruciais do juiz

Marcos Guedes Santos (SP)

Quase todos os jogadores do Corinthians voltaram do intervalo cercando Paulo Cesar de Oliveira na Vila Belmiro. O motivo foi um pênalti que viram de Gustavo Henrique em Guerrero, não marcado pelo árbitro no final da etapa inicial. A cobrança poderia ter deixado em 2 a 2 o placar, que acabou com vitória do Santos por 5 a 1.

“No intervalo, tínhamos o direito de reclamar da arbitragem, porque tínhamos um pênalti com a necessidade de expulsão do jogador adversário. Na segunda parte, perdemos o direito”, afirmou Mano Menezes, que, mesmo negando tal direito, voltou a tocar no assunto.

“Quando um jogo termina com vitória de 5 a 1 para o adversário, a gente não tem o direito de falar de arbitragem, embora tenham acontecido lances cruciais no primeiro tempo. Se ele marca o pênalti naquele momento e mostra o cartão vermelho, muda a história do jogo. Mas, repito, perdemos o direito de falar de arbitragem”, comentou.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Paulo Cesar de Oliveira teve sua atuação na Vila Belmiro criticada pelos corintianos
O lance não foi o único do qual reclamaram os corintianos. Alguns viram interferência de três jogadores do Santos que estavam à frente de Walter, em posição de impedimento, no lance do primeiro gol. Não enxergou dessa maneira o assistente Émerson Augusto de Carvalho.

Os corintianos lembraram que o bandeira é o mesmo que ficou marcado por um erro gritante em outro clássico entre Santos e Corinthians, também na Vila Belmiro. Em 2012, em uma vitória por 3 a 2 dos donos da casa, um gol foi validado apesar de impressionantes três impedimentos na jogada.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade