Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Muricy lamenta falta de opções e mostra preocupação com Fabuloso

Yan Resende, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

Luis Fabiano teve a chance de espantar a crise na vitória do São Paulo sobre o Oeste, por 2 a 1, neste domingo, mas desperdiçou mais uma cobrança de pênalti e quase complicou a vida do Tricolor. A situação do jogador, aliás, preocupa o treinador Muricy Ramalho, não só pela parte técnica, mas também pelo desgaste físico do atacante neste início de temporada.

“É uma preocupação grande, todos sabem do histórico dele de contusão. Se utilizar demais, vai começar a machucar. Ele corre risco sim e, se tivesse outro jogador na posição, já iria trocar no meio de semana, mas, infelizmente, só temos jogadores de lado de campo. Claro que se ele chegar e falar que não dá mais, eu tenho que fazer algo diferente, mas estamos preocupados. Essa sequencia de jogos é perigosa”, admitiu Muricy Ramalho.

Com relação ao pênalti perdido, já na segunda etapa, o treinador do São Paulo economizou palavras, afirmando que o lance poderia ter acontecido com qualquer jogador da equipe. A preocupação de Muricy Ramalho, portanto, deve ser mesmo a parte física, já que o elenco carece de outra opção como referência no ataque.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Com 33 anos, o atacante Luis Fabiano preocupa o treinador Muricy Ramalho por causa de sua condição física
Questionado sobre possíveis contratações do São Paulo, o comandante não deixou de cobrar a diretoria mais uma vez. O treinador manifestou o desejo de ter um centroavante para revezar com Luis Fabiano, mas admitiu a dificuldade de encontrar um reforço viável. Cansado de apostas, Muricy quer um jogador que chegue ao Morumbi pronto para vestir a camisa tricolor.

“Está difícil contratar. Estamos atentos ao mercado, colocamos nossos amigos no campo para buscar reforços, eles indicam jogadores e tenho certeza que vai aparecer. Mas não podemos trazer por trazer. Temos que trazer jogadores diferenciados. Vai ser difícil, mas a gente não perde a esperança”, concluiu Muricy.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade