Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

No Pacaembu, Verdão tenta se mostrar à prova da pressão do centenário

William Correia São Paulo (SP)

No mesmo palco em que conquistou o acesso e o título da Série B do Brasileiro de 2013, considerados obrigatórios até pela diretoria, o Palmeiras fará às 17 horas (de Brasília) deste sábado o primeiro jogo do ano de seu centenário. Na teoria, o adversário da estreia no Paulista no Pacaembu é o Linense. Na prática, o time terá que se mostrar resistente à pressão de uma temporada histórica.

Durante duas semanas de trabalho, incluindo dez dias de concentração em Itu, o elenco ouviu sobre a história do clube e, ao mesmo tempo, viu Gilson Kleina tentar minimizar as cobranças por um título na temporada em que o Verdão completa 100 anos. O discurso já era adotado pelos dirigentes e é simples: a obrigação de ser campeão é permanente em qualquer período na equipe.

“O centenário é um ano histórico para todos nós, estamos cientes disso. Mas não vamos colocar mais pressão do que existe. Sendo centenário ou não, temos a responsabilidade de entrar para fazer valer a tradição do Palmeiras, sempre buscando o maior título”, falou o técnico, confiando na vontade desde já para superar qualquer obstáculo.

“O que me chamou atenção foi a entrega de todos na pré-temporada, estão demonstrando o que querem fazer em 2014. O querer é muito forte, e estou sentido isso agora. Não é receita de sucesso, mas passei muito para eles que é necessário manter o comprometimento”, afirmou o treinador, ciente de que quem for ao Pacaembu ou a qualquer estádio em que o Verdão jogar terá a expectativa, ao menos, de vitória.

Em campo, o campeão da Série B sofreu mudanças, mas Diogo será o único reforço entre os titulares – Lúcio, Victorino, William Matheus e Marquinhos Gabriel ainda precisam evoluir, enquanto França e Rodolfo ficam no banco. Da base que garantiu o título, só serão escalados Fernando Prass, Henrique, Wesley e Alan Kardec.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Kleina já teve dificuldades para armar time da estreia e ressalta que responsabilidade de título é permanente no clube
Como Valdivia, Eguren, Leandro e Mendieta não estão bem fisicamente ainda, a armação fica com Mazinho, que acaba de voltar de empréstimo do futebol japonês. O meio-campo terá ainda Marcelo Oliveira, curinga que poderá virar lateral ou zagueiro, e Renato, que terminou 2013 como Renatinho e pediu para mudar de nome. Na zaga, entra Tiago Alves, com Serginho improvisado na lateral direita para dar a força ofensiva que Wendel não garante.

“O Palmeiras está em um estagio aceitável, mas que precisa evoluir. Temos que fazer o alicerce primeiro, nos classificarmos, e o ideal seria com a melhor campanha. Assim, nos garantimos para o mata-mata até a final. Por mais que tenhamos uma base, a reformulação e a qualificação continua, daremos tempo para termos qualidade”, comentou Kleina.

“Não estaremos no nosso melhor ainda, é um processo que pode levar duas ou três partidas até os jogadores estarem mais soltos. Mas a base, que é muito boa, ficou e recebemos jogadores de muita qualidade. Tenho muita confiança de que isso somará a nosso favor”, apostou Alan Kardec.

O Linense, por sua vez, está treinando desde dezembro e só depende da liberação da documentação do meia Diniz para ter seu time definido – o lateral esquerdo João Paulo está de sobreaviso para ser improvisado. Kleina sabe que o rival pode causar problemas atrapalhando a estreia de um dos favoritos.

“Queremos estrear bem. O Linense tem jogadores que disputaram a Série B e até a Série A e a conversa deles pode ser de que a estreia é a melhor hora para enfrentar o Palmeiras. Teremos que ser muito inteligentes para ganhar, não se ganha de qualquer forma. Mas o que queremos é começar com o pé direito dentro de casa. Precisaremos nos superar”, convocou o comandante do Verdão no centenário.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS X LINENSE

Local: estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 18 de janeiro de 2014, sábado
Horário: 17 horas (de Brasília)
Árbitro: Leandro Bizzio Marinho (SP)
Assistentes: João Edilson de Andrade e Maiza Teles Paiva (ambos de SP)
Assistentes adicionais: Luiz Vanderlei Martinucho e Leonardo Ferreira Lima (ambos de SP)

PALMEIRAS: Fernando Prass; Serginho, Henrique, Tiago Alves e Juninho; Marcelo Oliveira, Renato, Wesley e Mazinho; Diogo e Alan Kardec
Técnico: Gilson Kleina

LINENSE: Anderson; Gedeílson, Alex Moraes, Toby e João Lucas; Thiago Santos, Leandro Ferreira, Marcelo e Diniz (João Paulo); Fernandinho e Anselmo
Técnico: Bruno Quadros

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade