Futebol/Campeonato Catarinense - ( - Atualizado )

Novo reforço do JEC, Saci reclama do tratamento recebido no Figueira

Joinville (SC)

Após ajudar o Figueirense a conquistar o acesso à Série A do Campeonato Brasileiro, no último ano, Wellington Saci guarda mágoas da diretoria alvinegra e alega falta de respeito no modo como foi tratado pelo ex-clube. Em sua apresentação oficial, o novo reforço do Joinville revela que não foi procurado pelos dirigentes do Figueira, que não tiveram interesse em renovar seu contrato.

”Mágoa da torcida não ficou, nem da imprensa. Fiquei com mágoa da maneira que foi tratada a minha saída do Figueirense. Jamais passou pela minha cabeça o que ia acontecer, como aconteceu. Fui o jogador que mais vesti a camisa do Figueirense na temporada 2013, sempre mantendo a regularidade. De 38 jogos da B eu joguei 32”, reclama Saci, relembrando as atuações na segunda divisão nacional, no último ano. “Não renovaram. Jamais teria mágoa da decisão, mas sim como levaram. Não me ligaram, ninguém me procurou, nem me falou nada. Sempre respeitei o clube, mas as pessoas que estão encaminhando o Figueirense não tiveram por mim o mesmo respeito”, lamenta o lateral.

Divulgação/Joinville E. C.
Novo reforço para a lateral esquerda, Saci promete dedicação total no Joinville após sair do rival Figueirense

No Joinville, Saci terá a missão de manter o bom retrospecto que tem na Série B do Campeonato Brasileiro. Promovido à elite em 2008, com o Corinthians, e em 2009, com o Atlético-MG, o lateral também ajudou a levar Sport, Atlético-PR e Figueirense à primeira divisão nacional nas últimas três temporadas. O jogador promete ajudar os mais jovens, como pediu o presidente Nereu Martinelli.

“Estou preparado. Como o próprio presidente colocou aqui, os jogadores mais experientes podem ajudar bastante os mais novos, que estão sendo integrados ao elenco profissional. Quanto a isso, tranquilo. A gente vai se unir e se dedicar pelo objetivo, que é classificar entre os quatro. Agora é só um turno e precisamos começar o campeonato a mil por hora”, afirma o lateral, pontuando a meta do JEC no Campeonato Catarinense deste ano.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade