Futebol/Copa São Paulo de Juniores - ( - Atualizado )

Palmeiras abre o ano do centenário com vitória magra na Copinha

São Carlos (SP)

Coube ao time sub-20 representar o Palmeiras pela primeira vez em um campo de futebol na temporada em que o clube completa 100 anos. Na noite deste sábado, a equipe liderada por Diogo Giacomini não foi além de uma vitória por 1 a 0 sobre o modesto Fluminense de Feira, em São Carlos, em partida válida pela primeira rodada da Copa São Paulo de Juniores.

Com o resultado, conquistado com um gol de cabeça do atacante Erik no primeiro tempo, o Palmeiras passou a somar os mesmos 3 pontos do São Carlos no grupo H da Copinha. Como venceu o lanterna Piauí por 4 a 0, também neste fim de semana, a equipe da casa aparece à frente na tabela de classificação.

A próxima rodada da chave será disputada na terça-feira, quando o Palmeiras tentará aproveitar a fragilidade do Piauí para melhorar o seu saldo de gols. No mesmo dia, o São Carlos medirá forças com o Fluminense de Feira.

O jogo – O Palmeiras parecia que não teria dificuldades na noite deste sábado. Diante de uma empolgada torcida, o time comandado por Diogo Giacomini já batia bola quando o Fluminense de Feira subiu no gramado do Estádio Professor Luiz Augusto de Oliveira com ainda mais animação – alguns jogadores do time baiano chegavam a saltar de um lado a outro.

Quando a partida começou, prevaleceu a lógica, e foi o Palmeiras que se movimentou muito mais com a bola nos pés. Aos nove minutos, o clube comemorou o seu primeiro gol na temporada do centenário. Chistopher aproveitou uma bobeada da defesa do Fluminense de Feira do lado direito, ficou com a bola e cruzou na medida para Erik cabecear para a rede.

A vantagem no placar, no entanto, mudou a postura do Palmeiras no gramado. A equipe da capital paulista passou a administrar demasiadamente a posse de bola e atraiu o Fluminense de Feira à frente. Faltava a categoria dos xarás famosos para os atacantes Klysman e Balotelli, apesar do esforço, conseguirem incomodar um pouco mais a zaga adversária.

Já com meia hora de jogo, o Fluminense de Feira ganhou um reforço – no banco de reservas. O técnico Ado Almeida, pai do atacante Klysman, estava do lado de fora do campo porque não possuía a documentação exigida pela Federação Paulista de Futebol (FPF). Solucionado o problema, ele viu do banco de reservas o Palmeiras retomar o controle da partida.

Aos 43 minutos, após uma série de finalizações de fora da área de Chistopher, os comandados de Diogo Giacomini quase ampliaram. O lateral direito Léo Cunha, bastante acionado, cruzou com precisão para Caio Cezar, que cabeceou livre de marcação. A bola acertou o travessão, na última oportunidade de gol do Palmeiras na etapa inicial.

O jogo continuou movimentado no segundo tempo. Disposto a assegurar o resultado positivo, o Palmeiras começou a bombardear o goleiro Pavão, que se saía bem quando era exigido. Do outro lado, o colega de posição Vinicius se atrapalhou em uma saída de bola aos oito minutos e quase permitiu o empate do Fluminense de Feira. A conclusão de Gaúcho depois de passe de Klysman passou perto da meta.

Apesar do ânimo dos atletas do Fluminense de Feira, eram os do Palmeiras os mais incisivos no ataque. O excesso de individualismo, contudo, prejudicava a equipe alviverde, que ao menos cansava o seu rival. O técnico Ado Almeida começou a sofrer com uma série de jogadores reclamando de câimbras – por isso, esperou para trocar Gaúcho por Vinícius.

No Palmeiras, as apostas de Giacomini foram em Kelvy e Cesinha nos lugares de Yuri e Caio Cezar. O primeiro decepcionou a torcida logo em sua primeira participação no jogo, ao isolar a bola em um chute de fora da área. Nada que, mesmo somado às oportunidades desperdiçadas no final da partida, colocasse em risco a primeira vitória palmeirense no ano do seu centenário.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade