Futebol/Campeonato Paulista - ( )

Palmeiras confia na Copa para ter Valdivia mais motivado e frequente

William Correia São Paulo (SP)

Valdivia reapareceu sorridente para a pré-temporada palmeirense, aumentando a confiança da diretoria para que o jogador mais caro do elenco seja mais presente no centenário. O diretor executivo José Carlos Brunoro aposta na Copa do Mundo como estímulo para o chileno estar mais presente e motivado, ao menos, neste semestre.

“Se ele já se apresentou com essa motivação...”, disse o dirigente, lembrando as gargalhadas do meia ao lado de Mendieta ao se reapresentar das férias. “A parte psicológica é importante, e neste ano existe essa vontade de jogar a Copa. Todo jogador com essa possibilidade vai estar muito motivado, e o Valdivia é um deles.”

Ao assumir seus cargos no início do ano passado, a diretoria montada por Paulo Nobre já tinha ouvido Valdivia, logo após chegar atrasado para a pré-temporada, dizer que a seleção chilena seria sua prioridade em 2013. A vontade de voltar a ser convocado, então, virou aliado para o jogador entrar mais vezes em campo.

O meia foi convocado de novo e é apontado pelo técnico Jorge Sampaoli como tão diferencial para o Chile quanto Messi e Cristiano Ronaldo são para Argentina e Portugal, respectivamente. Mas o próprio Sampaoli já disse que, se mantiver a forma física do ano passado, não estará no Mundial. Por isso, agora, a obrigação de mostrar bom condicionamento é a aposta palmeirense.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Meia voltou das férias gargalhando, aumentando o otimismo para que camisa 10 palmeirense apareça mais
A diretoria já se sente responsável pela mudança no temperamento do meia, que critica publicamente Arnaldo Tirone, antecessor do presidente Paulo Nobre. “O que acho mais legal é que, quando chegamos, o Valdivia não era um cara feliz. Hoje vemos a felicidade dele e do elenco pela nossa transparência”, anima-se Brunoro.

“Abro um sorriso toda vez que vejo o Valdivia. Ele está sempre rindo. É bom ser amigo de quem tem essa felicidade”, falou o dirigente, satisfeito porque o meia, ao menos, foi importante no segundo semestre, na Série B, embora desfalque em todos os jogos decisivos do ano. “O Valdivia já está feliz, como todo o grupo. Tivemos pouquíssimos problemas no ano passado pela nossa transparência para todos se sentirem bem e com alegria aqui.”

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade