Futebol/Copa do Mundo 2014 - ( - Atualizado )

‘Queridinho’ de Felipão, Luiz Gustavo vê grupo aberto: “Pode ter novidades”

Bruno Landi, especial para a GE.net São Paulo (SP)

Desde que assumiu o comando técnico da Seleção Brasileira, em novembro de 2012, Luiz Felipe Scolari nunca escondeu que procuraria um volante capaz de dar segurança defensiva ao time que disputará a Copa do Mundo em casa. No primeiro amistoso, diante da Inglaterra, em Wembley, a vulnerabilidade da dupla formada por Paulinho e Ramires corroborou tal desejo. Fernando, ex-Grêmio, acabou testado, mas foi somente com Luiz Gustavo, até então no Bayern de Munique, que o comandante verde e amarelo achou um meio-campista capaz de proteger a sua zaga.

Apesar disto, o jogador, atualmente no Wolfsburg, também da Alemanha, ainda não se vê na Copa do Mundo de 2014. Em evento realizado pela Volkswagen, patrocinadora oficial de seu clube, nesta sexta-feira, em São Paulo, Luiz Gustavo admitiu que sente, sim, ser um ‘homem de confiança de Scolari’, mas negou que já esteja garantido no grupo dos 23 jogadores que serão convocados para o Mundial desta temporada.

“Eu não me sinto um jogador indispensável, insubstituível”, declarou o volante. “Só que, aos poucos, você vai sentindo que as pessoas confiam em você e precisam de você dentro de campo. A gente está muito entrosado com o time, então, tanto eu, quanto qualquer um que fica de fora já sente um pouco. O grupo todo está muito unido”, acrescentou o atleta, que, apesar de admitir que Felipão já montou uma base, rechaçou a possibilidade de o grupo já estar fechado para 2014.

Fernando Dantas/Gazeta Press
O volante titular da Seleção Brasileira participou de um evento da marca de carros que patrocina o Wolfsburg

“É difícil falar que (o grupo) já está fechado. Tem tantos bons jogadores espalhados pelo mundo que é complicado afirmar isto. Eu acredito que o Felipão já deve ter uma base na cabeça, mas ele é um treinador inteligente e, com certeza, não vai fechar a porta para ninguém”, declarou Luiz Gustavo, antes de se arriscar. “Eu creio que, até a Copa do Mundo, pode pintar alguma novidade, alguma opção que poucos esperam”, decretou.

Para finalizar, o volante, titular absoluto da Seleção Brasileira desde a Copa das Confederações, disse que não teme pela forte concorrência no meio-campo verde e amarelo. Além de Paulinho, seu companheiro na cabeça de área do time principal, nomes como Hernanes, Ramires e Lucas Leiva são figuras fundamentais em suas equipes na Europa e já foram lembrados por Felipão. Além deles, o talentoso Fernandinho, titular do Manchester City, já pede passagem com suas grandes atuações no Campeonato Inglês.

“Essa concorrência não me preocupa, porque, quando você joga na Seleção, tem que estar preparado para enfrentar esta disputa por posição. Ainda mais no Brasil, que possui jogadores de tanta qualidade. Eu procuro fazer o meu trabalho, exercer o que o professor pede e deixar para ele decidir convocação ou escalação”, decretou Luiz Gustavo, que, após a conquista do tetracampeonato da Copa das Confederações, não ficou de fora de nenhuma lista de Luiz Felipe Scolari. Até a Copa do Mundo, porém, haverá mais uma convocação: para o amistoso diante da África do Sul, em março.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade