Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Seedorf se define como antivírus e espera ajudar o "doce" Balotelli

Milão (Itália)

Neste sábado, Clarence Seedorf concedeu sua primeira entrevista como técnico do Milan. Bem humorado, o ex-meia do Botafogo se auto definiu como um “antivírus”, prometendo resgatar o DNA do clube rossonero. Motivado para o novo desafio, o comandante exaltou o brasileiro Kaká, com quem pretende contar em sua formação titular, e teve calma para tratar sobre o polêmico atacante Mario Balotelli, a quem caracterizou como "um menino muito doce".

“Eu quero resgatar o DNA do Milan. É algo que você nunca pode perder. O Milan deve ter sido infectado com um vírus, mas o antivírus já chegou. Eu acho que é importante olhar para a frente, não para trás. Podemos aprender com o passado, com certeza, mas acredito que momentos difíceis ajudem as pessoas a crescer em termos de caráter. Vamos tentar olhar para o copo meio cheio”, projetou o novo treinador.

Adiante, Seedorf se mostrou pronto para a empreitada à beira da área técnica, expondo a importância dos resultados positivos em sua consolidação no comando rossonero: “Tenho muito a provar. Agora uma nova carreira começa, eu me sinto pronto para o desafio, mas vai ser o trabalho e os resultados que devem confirmar que posso vencer essa responsabilidade e viver de acordo com as expectativas. Eu me sinto pronto e eu gosto de desafios. Não há nada melhor do que começar uma nova e importante carreira no mais alto nível quando você jogou por muitos anos e pode ajudá-los a alcançar seus objetivos”, sintetizou.

Quando questionado sobre Kaká, o comandante não poupou palavras para exaltar o brasileiro: “Encontrei outro velho amigo. Eu sei que posso contar com ele acima de tudo como pessoa. Kaká é um jogador extraordinário, ele ainda pode melhorar depois dos problemas que teve no Real Madrid. Ele também provou o seu valor em campo novamente e vai servir de exemplo para seus companheiros de equipe”, ressaltou.

Atencioso, Seedorf ainda demonstrou calma para tratar do polêmico atacante Mario Balotelli, a quem definiu de maneira peculiar: “Ele é um menino muito doce. Eu já o conhecia um pouco antes e todos nós sabemos de suas qualidades. Eu estou aqui para apoiá-lo, ajudá-lo a crescer e ele parece muito ansioso para trabalhar comigo. Estou confiante. Acho que é muito importante para os jogadores e treinadores se comunicarem e colaborarem uns com os outros. Quanto mais informações tivermos, melhor trabalho podemos fazer”, expressou.

Acerca do esquema tático empregado no início de seu trabalho, o ex-camisa 10 foi enfático: “Eu sempre disse que os esquemas dependem dos jogadores que você têm à sua disposição. Esse time tem jogado no 4-3-3 e em várias outras maneiras, mas eu vou jogar no 4-2-3-1 porque eu quero aproveitar ao máximo a grande qualidade que temos no ataque para desenvolver um time ainda mais ofensivo”, destacou.

Por fim, o técnico rossonero convocou a torcida do Milan para comparecer no Giuseppe Meazza na sequência do Campeonato Italiano, valorizando a importância do apoio vindo das arquibancadas: “Espero que o apoio dos nosso torcedores seja sempre o nosso 12º homem, o que eu sempre soube ao longo da minha carreira e vi nos últimos dias. Estou convencido de que os torcedores vão dar a energia para o que o time precisa e que os jogadores irão responder na mesma moeda para levar o Milan ao lugar onde ele pertence”, completou.

AFP
"O Milan deve ter sido infectado com um vírus, mas o antivírus já chegou", avisou Clarence Seedorf

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade