Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Única opção, Wellington vê parceria com Lúcio como "sonho de menino"

São Paulo (SP)

A venda de Henrique para o Napoli limitou tanto as opções de Gilson Kleina na defesa que o técnico escalará como titular, nesta quinta-feira, contra o Penapolense, Wellington, que nem no banco ficou neste ano. Chance para o zagueiro vibrar tendo ao lado alguém renomado como Lúcio.

“É uma honra. Vi o Lúcio jogando, sendo campeão do mundo em 2002. É um sonho de menino”, afirmou o defensor de 22 anos, disposto a aproveitar ao máximo a experiência do parceiro que é 13 anos mais velho. “Vou conversar bastante com ele no jogo”, comentou.

A escolha por Wellington, rebaixado pelo ASA para a Série C do Brasileiro no ano passado, é quase uma obrigação diante dos desfalques. Na zaga, Tiago Alves se recupera de luxação no ombro direito e o recém-contratado Victorino, que não joga desde setembro de 2002, não tem condições físicas para estrear – na segunda-feira, não participou nem de 15 minutos de jogo-treino e só ficou na sala de musculação nesta quarta-feira.

Com a negociação de Henrique, uma opção seria recuar Marcelo Oliveira, mas as alternativas para marcação no meio-campo também não são confiáveis. Eguren ainda se recupera de pancada que recebeu no joelho esquerdo há três semanas e França não tem condição física de ser titular. Por isso, sobrou Wellington, que não se abala.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Zagueiro de 22 anos ainda não tinha ficado nem no banco neste ano, mas substituirá Henrique
“A expectativa de jogar é a melhor possível. Treino firme, para o que der e vier. Agora que surgiu essa oportunidade, vou tentar agarrar da melhor maneira. O Kleina conversou comigo no trabalho tático da tarde e me falou para ir tranquilo para o jogo”, contou.

Formado nas categorias de base do Palmeiras, Wellington entrou em campo seis vezes em 2012, sendo expulso em uma delas. No ano passado, chegou a ser capitão do Atlético Sorocaba no Paulista, não encontrou espaço ao voltar ao Verdão e foi emprestado para o ASA.

Agora, o zagueiro ficou por falta de opção, mas superou Leandro Amaro, que treina em horários diferentes do elenco com o lateral direito Luis Felipe enquanto procura um clube. E sonha em ter sequência. “Quero estar em campo sempre e ajudar o Palmeiras”, afirmou Wellington, com boas chances de ser titular também no clássico de domingo, contra o São Paulo.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade