Futebol/Mercado - ( )

Uram evita falar de negociações e mantém mistério sobre Cícero

Bruno Grossi, especial para a GE.net São Paulo (SP)

A situação de Cícero no Santos segue indefinida. O jogador tem sido sondado por rivais do Peixe no Brasil, como o Fluminense, e teria se tornado o principal alvo do Shandong Luneng para a próxima temporada do Campeonato Chinês. Empresário do atleta, Eduardo Uram tenta concretizar o negócio com a equipe que será treinada por Cuca, mas os dirigentes alvinegros não têm facilitado.

A cúpula santista não abre mão de receber o valor da multa rescisória do meio campista. Cícero foi o principal nome do time na última temporada ao anotar 23 gols e cobrou o clube por uma valorização salarial. A diretoria não demonstrou interesse em ceder às vontades do jogador, alegando que já havia reajustado os vencimentos no meio de 2013 após receber proposta do futebol alemão.

O contrato assinado no início do ano passado deixaria Cícero na Vila Belmiro até o final de 2014, mas a pressão por um aumento significativo e por uma negociação com o exterior levaram os dirigentes paulistas ao limite da paciência. Irredutíveis, os santistas só abrirão conversas pela venda do meia por 6 milhões de euros (cerca de R$ 19 milhões).

Responsável por administrar o Tombense, time mineiro que detém os direitos de Cícero, Eduardo Uram recusou fazer qualquer comentário sobre as negociações com seu cliente. O empresário apenas afirmou que ainda está “tudo indefinido” sobre o futuro do meio campista na temporada, que será iniciada pelo Santos nesta quarta-feira com a reapresentação do elenco no CCT Rei Pelé.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade