Futebol/Copa do Mundo 2014 - ( )

Valcke ameninza críticas e demonstra confiança nas obras em Curitiba

Rio de Janeiro (RJ)

O secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, adotou um tom menos crítico nesta quinta-feira ao falar sobre o atraso das obras na Arena da Baixada. Em entrevista coletiva concedida no Maracanã, o dirigente demonstrou confiança na conclusão do estádio de Curitiba, ameaçado de ser excluído como uma das sedes da Copa do Mundo.

“Nessa data (18 de fevereiro) será possível dizer exatamente em que ponto o estádio está, e a velocidade das decisões que foram tomadas nos últimos dias. Está bastante atrasado, mas nós da Fifa, o COL e as autoridades estamos colocando todos os recursos que temos para monitorar a obra. Estamos olhando a cada minuto do dia. Depois da reunião e do conjunto de compromissos que assumimos, estamos otimistas com a possibilidade de usar a Arena da Baixada. No dia 18, vamos avaliar, mas esperamos que esteja pronta no fim de abril”, afirmou.

Dos estádios que ainda não foram entregues, a Arena da Baixada é o que mais preocupa a Fifa, pois ainda não atingiu o patamar “aceitável” de 90 % de conclusão.

AFP
Na terça-feira, Valcke ameaçou tirar a Copa de Curitiba após visitar a Arena da Baixada (foto: Vanderlei Almeida)
“As medidas envolveram três pilares: uma recomposição da gestão da obra com a inclusão de pessoas da Prefeitura e do Governo do Estado que têm experiência em obras complexas, a aprovação dos dois turnos para intensificar o trabalho e a liberação de recurso financeiro no valor de R$ 39 milhões para tocar a obra nesse novo ritmo. Se essas medidas forem implementadas, acreditamos que podemos entregar o estádio em tempo”, disse Luis Fernandes, secretário executivo do Ministério do Esporte.

Presidente do COL (Comitê Organizador Local) e da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), José Maria Marin demonstrou convicção na participação de Curitiba. “Curitiba ficar fora seria profundamente lamentável, mas não acredito nisso. Acho que todos irão se unir no Paraná - Governo do Estado, Prefeitura e dirigentes. Todos eles, após a reunião desta manhã (quinta-feira), vão se reunir e encontrar uma solução. Tenho certeza absoluta que Curitiba não ficará fora. (Mas) depende de muita união e de muita boa vontade”.

O evento no Maracanã encerrou a primeira viagem de Valcke ao Brasil em 2014. O dirigente, que está desde segunda-feira no país, visitou São Paulo, Cuiabá, Curitiba, Natal e Rio de Janeiro.

Na capital do Rio Grande do Norte, Valcke participou da inauguração da Arena das Dunas, nesta quarta-feira, junto com a presidente Dilma Rousseff.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade