Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Valdivia celebra 2013 "positivo" e se diz ansioso por novo Palestra

São Paulo (SP)

Valdivia disputou apenas 27 partidas com a camisa do Palmeiras em 2013, mas considera positiva a temporada recém-terminada. Principalmente coletivamente, mas também no aspecto individual, já que retornou à seleção chilena às vésperas da disputa da Copa do Mundo de 2014, ano em que voltará também a atuar no novo Palestra Itália, agora chamado de Allianz Parque.

“O balanço é positivo. Nosso principal objetivo era voltar para a Série A, e voltamos. E voltamos bem, com o título. Era nossa obrigação sim, mas, para alcançar esta meta, trabalhamos muito", disse o jogador ao site do clube, que conquistou o título da segunda divisão sem maiores sobressaltos e está de volta à elite no ano de seu centenário.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Meia chileno quer começar o ano com o pé direito
“Quando você disputa uma competição que não conhece, às vezes ela pode te pegar de surpresa e acabar te complicando. Na Série B, nossa qualidade era superior a dos adversários, porém, quando não deu certo na bola, procuramos outros meios, como a raça. Foi isso que o torcedor queria e que o Kleina (Gilson Kleina, treinador) nos pediu. Quando não foi na técnica, ganhamos na raça. Fomos um time de guerreiros”, continuou.

Além da meta coletiva, Valdivia alcançou o objetivo de defender novamente as cores do Chile. "Pessoalmente, também é positivo. Até porque a minha sequência boa aqui fez com que eu pudesse voltar à seleção”, falou o camisa 10 alviverde, autor de quatro gols e responsável por dez assistências ao longo da temporada.

Com contrato até agosto de 2015, o chileno se diz ansioso pela temporada que começará para o Palmeiras nesta sexta-feira, dia em que o elenco se reapresentará aos trabalhos, na Academia de Futebol. O que mais o motiva é o ano especial para o clube, com o aniversário de 100 anos e a inauguração da reformada arena - ainda sem previsão exata de conclusão.

"Será muito especial para mim. Estou muito ansioso. Será ótimo para nós termos de volta nossa casa e ficarmos perto do nosso torcedor onde ele mais se sente bem. Sem contar que ser o camisa 10 no centenário é algo gratificante. Sei da minha responsabilidade e vou trabalhar para corresponder", avisou o jogador de 30 anos, campeão paulista no Palestra, em 2008, e com 202 jogos pela equipe.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade