Futebol/Bastidores - ( )

Van Gasse e Emerson Augusto de Carvalho apoiam tecnologia na Copa

Bruno Oliveira, especial para a GE.NET São Paulo (SP)

Em busca de minimizar os erros de arbitragem na Copa do Mundo deste ano, a Federação Internacional de Futebol Associado (Fifa) optou por utilizar mais recursos tecnológicos no torneio que será realizado em território brasileiro. Após discussão que durou anos, a entidade presidida por Joseph Blatter usará ferramenta digital que permite definir se a bola ultrapassou a linha do gol ou não. Escalados para trabalhar na competição intercontinental, os assistentes paulistas Marcelo Van Gasse e Emerson Augusto de Carvalho apoiaram a decisão.

“Essa informação é super importante para nós, pois, às vezes, o assistente não consegue ver e tirar uma conclusão. Essa tecnologia é um benefício para nós”, afirmou Van Gasse, de 37 anos, que pertence ao quadro da Federação Paulista de Futebol (FPF)

No último ano, a Fifa utilizou esta tecnologia na disputa da Copa das Confederações e também no Mundial de Clubes. Desenvolvido pela empresa GoalControl, o sistema não apresentou falhas e apontou corretamente todos os gols dos dois torneios. Com isto, a expectativa é de que seja evitado erro como ocorreu na Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, em chute do meio-campista inglês Frank Lampard que ultrapassou a linha e não teve gol assinalado pelo árbitro uruguaio Jorge Larrionda.

“Eu sempre gosto quando surge algo para auxiliar os árbitros. Achei muito bom o que foi feito no Mundial de Clubes. Tudo que aparece para agregar, como a bandeira eletrônica, depois o rádio e agora essa tecnologia, só tem a nos fazer crescer. É um fator positivo para o futebol”, encerrou o também paulista Emerson Augusto de Carvalho, que formará trio com Van Gasse e Sandro Meira Ricci.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Auxiliares de Sandro Meira Ricci, paulistas já presenciaram uso desta tecnologia no Mundial de Clubes

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade