Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Wellington diz ter rejeitado a Europa por nova fase no São Paulo

Helder Júnior São Paulo (SP)

O volante Wellington suou o uniforme de treinos do São Paulo durante boa parte do dia em que completou 23 anos. Na movimentação desta terça-feira, o aniversariante não se contentou apenas com o sério treinamento tático comandado por Muricy Ramalho e com o descontraído rachão ao lado do restante do elenco. Sorridente, também gastou alguns minutos, sozinho em um dos campos do CT da Barra Funda, exercitando passes e finalizações. Tudo em nome de uma nova fase no clube do Morumbi.

Criticado pelo mau desempenho na temporada passada, Wellington se disse muito disposto a acabar definitivamente com o mau momento em 2014. Sem deixar de valorizar o seu passado, que já teria despertado a cobiça de um clube da Turquia e de outro da Itália. “Confirmo as propostas que vi, de Galatasaray e Inter de Milão”, divulgou o volante, que teve o seu contrato com o São Paulo renovado até outubro de 2018, com aumento salarial. “Sempre sonhei com a Europa, não vou mentir, e fiquei feliz em ser valorizado com as propostas. Mas quero seguir no São Paulo, voltando a ter a raça de antigamente a correr o que eu corria.”

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Feliz por ter renovado contrato, Wellington afirma que recusou propostas do Galatasaray e da Internazionale
Apesar de ter dado um voto de confiança a Wellington, dirigentes do São Paulo têm repetido que esperam mais do volante (assim como do meia Jadson e do atacante Luis Fabiano, por exemplo) nesta temporada. O vice-presidente de futebol João Paulo de Jesus Lopes é um dos que apontam a expectativa de rever boas atuações dos atletas como uma justificativa contra o desespero em busca de reforços.

“Sei que, se não estiver bem sempre, vou sair do time. Dei uma caída, sim, e tenho consciência de que preciso melhorar cada vez mais. A crítica faz parte do nosso trabalho. Estou no São Paulo Futebol Clube. Se não quiser escutar crítica, tenho que ficar no sofá de casa”, aceitou Wellington, sem palpitar sobre as reações dos dirigentes à sua sequência de jogos como titular em 2014. “A pergunta deve ser feita a eles”, afirmou.

Ao menos Muricy Ramalho tem se mostrado satisfeito com a evolução de Wellington. Na pré-temporada, o técnico elogiou o preparo físico do volante e explorou a sua versatilidade para utilizá-lo até como armador de jogadas. “Creio que estou fazendo por merecer a oportunidade. Agradeço ao Muricy por isso. Afinal, não é à toa que estou há sete anos aqui. Quero continuar, pois é a minha casa, onde cresci”, discursou o jogador, que se diz torcedor do São Paulo desde a infância.

Para continuar em alta, Wellington sabe que precisa continuar a se dedicar. Até mesmo no dia do seu aniversário. “Tenho que melhorar muitas coisas. O passe é uma delas. Por isso, fiz aquele treino separado. Também estou vendo o VT dos nossos jogos e fico me cobrando muito, até porque quem joga no meio-campo não pode falhar. Estou errando só dois passes por partida, e isso me deixa feliz. Quero evoluir até o dia em que não errarei nenhum”, projetou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade