Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Abel e dirigente do Inter reclamam de próximo jogo fora do Beira-Rio

Do correspondente Vicente Fonseca Porto Alegre (RS)

A informação de que o próximo jogo do Internacional não poderá ser realizado no Beira-Rio irritou o técnico Abel Braga. A partida contra o Juventude, na próxima terça-feira, terá de ocorrer no Estádio do Vale, em Novo Hamburgo, aonde o Colorado vinha atuando antes de reinaugurar sua casa. O treinador recebeu esta informação logo após a goleada do Inter sobre o Caxias por 4 a 0, no jogo que marcou a volta ao Beira-Rio.

“Tudo ocorreu às mil maravilhas. O gramado de lá é melhor? O estádio é mais bonito? Por que não jogar aqui? Não entendo. Se vamos para Novo Hamburgo temos que cumprir, mas isso é muito ruim. No fundo, a gente continua sem casa. Se pode hoje, por que não pode terça?”, questionou o treinador.

Alexandre Lops/SCI
Neste sábado, apenas 10 mil lugares foram liberados para os associados do Internacional

O Beira-Rio ainda depende de trâmites legais para ser liberado em todos os jogos. O vice de futebol Marcelo Medeiros respeita o processo, mas pede que a volta definitiva do Inter à sua casa se dê de forma rápida: “hoje foi um evento-teste. Muitas coisas ainda precisam ser aprimoradas, mas não vejo muita lógica a gente não dar sequência de jogos ao Beira-Rio. As condições de segurança com certeza são melhores que as de muitos estádios do Gauchão. O Inter tem o direito de jogar em sua casa”, pediu.

Contra o Caxias, o Internacional conseguiu, após uma longa vistoria do Ministério Público, liberar parte do anel inferior do estádio. Para o jogo do dia 27, contra o Brasil de Pelotas, a ideia é que toda parte de baixo do estádio seja aberta, o que poderá garantir um público de 25 mil torcedores – neste sábado, 10 mil assistiram à goleada sobre o Caxias.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade