Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Agora técnico, Eutrópio recorda embates contra o Avaí como zagueiro

Florianopolis (SC)

Neste domingo, às 18h30 (de Brasília), Figueirense e Avaí medem forças, no estádio Orlando Scarpelli, em partida válida pela sexta rodada do Campeonato Carioca. Atleta do Furacão do Estreito na década de 1990 e presente em clássicos contra o Leão da Ressacada, o agora técnico Vinícius Eutrópio expôs sua previsão para o embate. Na visão do comandante alvinegro, será uma partida franca e vistosa.

“Sabemos os caminhos para ganhar. Isso é importante para os jogadores. Assim, os torcedores tem que vir para nos ajudar, torcendo muito. Será um jogo bonito e aberto. Tentaremos fazer a alegria deles. O tempo de recuperação não é o ideal, mas vamos nos encaixando aos poucos. Temos que nos superar”, discorreu o treinador.

Adiante, Eutrópio traçou um paralelo entre os clássicos disputados como atleta do Figueira e como jogador. Dentro das quatro linhas, o atual comandante, em dez partidas, traz consigo o retrospecto de seis vitórias, dois empates e duas derrotas. Já à beira do gramado, o aproveitamento é perfeito, mas enfrentou o Avaí em apenas uma oportunidade: “Como jogador você gosta mais, porém, tira a adrenalina correndo, quando começa o jogo. No comando, tudo é mais puxado. A responsabilidade é maior e você precisa interagir com todos. Não digo que o frio na barriga aumenta, mas a gente sente a pressão pois temos uma missão a cumprir”, sintetizou.

No embate, o comandante alvinegro tem apenas uma dúvida: a situação do volante Rivaldo. Com suspeita de estiramento, o jogador foi submetido a exames de imagem, mas o resultado ainda não foi divulgado. Caso não reúna condições de jogo, Nem será efetivado entre os onze iniciais.

Assim, o Figueirense deve ir a campo com a seguinte formação, no esquema 4-5-1: Tiago Volpi; Leandro Silva, Marquinhos, Thiago Heleno e Marquinhos Pedroso; Rivaldo (Nem), Marcos Assunção, Wesley, Dudu e Éverton Santos; Lúcio Maranhão.

Curiosamente, o clássico deste domingo é um confronto de extremos. Ao passo que o Figueirense ocupa o primeiro posto da tabela, com onze pontos, o Avaí aparece na lanterna, com apenas quatro somados, totalizando uma campanha de uma vitória, um empate e quatro derrotas.

Divulgação/Figueirense F.C.
"No comando é mais puxado. A responsabilidade é maior e você precisa interagir com todos", disse Eutrópio

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade