Futebol/Campeonato Paulista - ( )

Após gol no Derby, Kardec tenta controlar ansiedade pela convocação

São Paulo (SP)

Marcar gol em seu primeiro Derby foi mais um feito que chama a atenção de Luiz Felipe Scolari, e Alan Kardec sabe disso. O jogador admite que precisa controlar a expectativa para saber se estará no complemento da última convocação da Seleção Brasileira antes da Copa do Mundo, para amistoso contra a África do Sul, no dia 5.

“Tenho que manter os pés no chão. Tenho um pouquinho de ansiedade, mas preciso controlar e dosar para as coisas acontecerem naturalmente”, confessou o atacante, descartando, porém, que pensou na Seleção ao empatar o clássico. “Fiz o gol pelo Palmeiras e para ajudar a minha equipe”, destacou.

O discurso do camisa 14 é de tranquilidade à espera da primeira lembrança no time principal da CBF. “O que vier a acontecer, que seja com naturalidade, pelo meu trabalho e tudo que tenho feito pelo clube. Se aparecer uma oportunidade, tenho que estar preparado”, falou o jogador, vice-campeão mundial sub-20 em 2009.

A possibilidade da convocação de Alan Kardec aumentou por conta das dicas de Felipão, que prometeu chamar mais dois atacantes que atuam no Brasil para o amistoso na África e descreveu que gosta de bons cabeceadores e finalizadores, mas que sabem sair da área e cumprir funções táticas. Exatamente o que faz o centroavante do Verdão.

Divulgação
Atacante fez sinal de paz após seu gol no clássico (Crédito da foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)
No clube, a esperança por seu chamado é declarada publicamente. “O Kardec é fatal dentro da área nesse fundamento de finalização e cabeceio...”, enalteceu Gilson Kleina. “Se ele for convocado, os brasileiros podem ficar tranquilos porque está indo um grande atacante. Ficaremos muitos felizes se acontecer. Voto na convocação porque ele merece”, apoiou.

O diretor executivo José Carlos Brunoro corrobora a expectativa por Alan Kardec na Seleção. “Não tenho informação sobre sua convocação, mas, se ele está nesse rol, merece uma oportunidade por tudo que vem fazendo. É um jogador completo: joga dentro da área, volta para marcar, cumpre uma função tática importante. É difícil ter um jogador assim”, elogiou o dirigente.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade