Futebol/Copa Libertadores da América - ( - Atualizado )

Após invasão, Cruzeiro pune torcedor e não crê em perda de mando

Do correspondente Wanderson Lima Belo Horizonte (MG)

Dentro de campo, o Cruzeiro deu show contra os chilenos da Universidad de Chile, mas a festa celeste quase foi estragada pelo torcedor Carlos Alberto Mendes Júnior, que invadiu o campo após o gol do atacante Willian, o quinto na goleada por 5 a 1. Logo após a invasão, o torcedor foi identificado, preso e julgado no próprio estádio.

A pena imposta ao torcedor será de nove meses sem assistir aos jogos da Raposa como mandante, e ainda terá que comparecer ao 11º batalhão da Polícia Militar em Manhuaçu, local onde mora o torcedor infrator. O diretor de futebol cruzeirense Alexandre Mattos acredita que o clube não será punido pela invasão de campo.

“A velocidade que o Cruzeiro está lidando com este assunto, com muita força, para tentar servir de exemplo. E dizer um recado para àqueles que vem ao Mineirão, no entorno do Mineirão e dentro do estádio, para fazer baderna. O Cruzeiro se fez presente na delegacia, na figura do presidente do clube, do diretor do clube. Imediatamente o cidadão foi preso, algemado e acabou de assinar uma punição de nove meses, que ele não vai vir ao estádio Mineirão”, disse.

O dirigente afirma que todas as medidas que poderiam ser adotadas pelo Cruzeiro foram tomadas prontamente. “É o que o Cruzeiro pode fazer e queríamos muito falar isso para o torcedor de bem, que a diretoria age e aquele que pensa em fazer baderna, isso é o mínimo que podemos fazer. Esse torcedor inclusive vai ser processado como todos que estão sendo”, encerrou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade