Futebol/Bastidores - ( )

Após invasão no CT, Joaquim Grava relata "clima de guerra"

São Paulo (SP)

Consultor médico do Corinthians, Joaquim Grava, que dá nome ao CT do time, foi um dos que sofreram com a invasão de aproximadamente cem torcedores na manhã deste sábado. Preso em uma das salas do local, o médico relatou um “clima de guerra”.

“Está um clima de guerra, ninguém sai, ninguém entra. Todos, sem exceção, estão presos. A comissão técnica está trancada numa sala, e os jogadores, em outra. Até colocaram uns armários pras portas não serem arrombadas”, disse Grava para a Rádio Jovem Pan.

Insatisfeitos com o time, goleado pelo rival Santos por 5 a 1 no meio de semana, os fãs pularam os muros do CT para protestar, principalmente, contra o técnico Mano Menezes e os atacantes Emerson Sheik e Alexandre Pato. No entanto, o elenco já havia se refugiado.

“A Polícia está tentando contornar a situação, os torcedores querem falar com os jogadores, mas os jogadores não querem falar com eles”, explicou Joaquim Grava, confirmando que alguns vândalos invadiram o CT portando pedaços de madeira. “Como vamos jogar no domingo?”, perguntou.

Fora da zona de classificação para a próxima fase do Campeonato Paulista, o Timão, vindo de duas derrotas consecutivas, voltará a campo neste domingo, às 17 horas (de Brasília). A adversária será a Ponte Preta, no Moisés Lucarelli, em Campinas (SP).

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade