Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Caio lamenta chance perdida e lembra gol legítimo da Lusa anulado

São Paulo (SP)

Aos 25 minutos do segundo tempo, em contra-ataque da Portuguesa, Caio apareceu livre na frente de Rogério Ceni e, na tentativa de encobrir o adiantado goleiro, jogou por cima do travessão uma chance clara de garantir a vitória. Mas o atacante, na saída do Morumbi, lembrou que o 0 a 0 com o São Paulo poderia ter sido evitado não fosse um erro da arbitragem.

Aos 30 minutos do primeiro tempo, William Magrão cabeceou nas redes em posição legal, mas o lance foi invalidado sob alegação de impedido. “Viemos para jogar, tanto que, infelizmente, o juiz anulou um gol legítimo nosso”, afirmou Caio.

A declaração do atacante foi uma resposta à acusação de que a Lusa fez de tudo para segurar a partida, tanto que os três jogadores substituídos saíram de maca reclamando de câimbras. “Caímos por pancada. Ninguém veio em nenhum momento fazer cera, mas para jogar”, defendeu Caio.

Contrariando as palavras do jogador emprestado pelo Palmeiras, o volante Renan, ao receber falta de Ganso e cair fora do gramado, fez questão de voltar rolando ao campo, claramente na tentativa de retardar o reinício da partida e irritar os adversários.

De qualquer forma, tudo isso seria mais válido se Caio aproveitasse a oportunidade clara que teve. “Eu poderia ter definido a partida. Infelizmente, estamos sujeitos a isso”, lamentou. “Agora é trabalhar firme para buscar três pontos em Penápolis”, prosseguiu o atleta, pensando no jogo das 19h30 (de Brasília) de quarta-feira.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Flavio Rodrigues Guerra anulou gol de William Magrão no primeiro tempo, apesar da posição legal do jogador


Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade