Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Com Copa distante, Luis Fabiano avisa que faria frente a Fred e Jô

Helder Júnior São Paulo (SP)

O centroavante Luis Fabiano já perdeu as esperanças de disputar mais uma Copa do Mundo pela Seleção Brasileira. Ainda assim, ele abre um sorriso para dizer que não faria feio frente a Fred e Jô, os preferidos do técnico Luiz Felipe Scolari para a sua posição.

“Por tudo o que já fiz e mostrei, pela experiência de já ter convivido três anos seguidos lá, eu teria condições de vestir novamente a camisa da Seleção e de ajudar. Mas, como Seleção é momento e dizem que o meu não é bom...”, comentou, ironicamente. “Só que posso dizer que eu me garantiria, que não estou atrás de quem está na Seleção agora”, acrescentou.

Com seis gols marcados em dez jogos disputados no Campeonato Paulista, Luis Fabiano tinha a expectativa (ainda que remota) de figurar na relação de Felipão para o amistoso contra a África do Sul. O treinador havia dado a entender que surpreenderia com a convocação de um atacante empregado no futebol brasileiro (o palmeirense Alan Kardec era apontado como favorito), porém não inovou para o último teste antes de definir a lista final para o Mundial.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Luis Fabiano sabe que dificilmente será chamado para defender o Brasil na Copa do Mundo deste ano
“Sonhar é de graça. A Copa ficou muito distante, difícil para um jogador que não teve uma sequência na Seleção. O grupo do Felipão está praticamente fechado. Só que já vi coisas inexplicáveis acontecerem no futebol, então continuo sonhando, mesmo sabendo que é quase impossível”, conformou-se Luis Fabiano.

O centroavante do São Paulo ainda recordou a sua passagem pela Seleção Brasileira. Ele foi o titular do técnico Dunga na Copa de 2010, na África do Sul. “O peso era muito grande. Tive a felicidade de encarar esse desafio logo depois do Ronaldo. Mas fiz o possível para dar alegria aos torcedores e marquei gols importantes”, defendeu o antecessor de Fred e Jô, antes de se motivar de novo. “Se eu fizer um gol por jogo, a pressão pela convocação será grande”, brincou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade