Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Com gols de Valdivia e Kardec, Palmeiras bate Tricolor e finda jejum

São Paulo (SP)

O Palmeiras saiu vitorioso em sua volta aos clássicos. Na tarde deste domingo, o time de Gilson Kleina manteve os 100% de aproveitamento no Campeonato Paulista com a vitória por 2 a 0 sobre o São Paulo, no estádio do Pacaembu. O meia Valdivia e o atacante Alan Kardec marcaram os gols que garantiram o resultado positivo.

Sem ter vencido clássicos no ano passado, o Verdão enfrentou um rival pela primeira vez desde que passou pela Série B do Brasileiro e impôs a segunda derrota do São Paulo no Paulistão. O Tricolor, que também não triunfou em clássicos em 2013, começa 2014 mantendo o jejum.

A partida ainda marcou o reencontro do zagueiro Lúcio com o São Paulo. O pentacampeão chegou a se estranhar em alguns momentos com Luis Fabiano, mas a tensão que envolvia o assunto antes do Choque-Rei não se confirmou, com o zagueiro controlado em campo.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Valdivia marcou de cabeça o primeiro gol do Palmeiras na vitória no clássico deste domingo
Em função de sua quinta vitória no Estadual, o time de Kleina chegou aos 15 pontos, na liderança isolada do grupo D. Já o São Paulo segue na ponta do grupo A, com nove pontos. Na próxima rodada, o Palmeiras enfrentará o XV de Piracicaba, na noite de quarta-feira, no Barão de Serra Negra. Já o Tricolor receberá o Paulista, na quinta, quando buscará a reação no Morumbi.

O jogo - O Palmeiras começou o jogo com a marcação adiantada, dificultando a saída de bola do São Paulo e criando mais condições para ter a posse na frente. Em uma das roubadas no início do confronto, Valdivia desperdiçou passe que poderia deixar Alan Kardec livre. Enquanto isso, o Tricolor tentava encontrar maneiras de responder. Assim, Luis Fabiano escapou da marcação de Juninho pela direita e arriscou a batida, mas a bola desviou na zaga e se perdeu pela linha de fundo.

Os dois times exageraram nos erros de passes no primeiro tempo, o que tirou um pouco da emoção que o clássico poderia ter nos 45 minutos iniciais. Mesmo assim, o time de Gilson Kleina esteve melhor no início. Em boa troca de passes na frente, Valdivia fez a assistência na esquerda para Leandro, que saiu com liberdade de frente para o gol e arrematou no canto, baixo, mas Rogério Ceni conseguiu fazer grande defesa.

Na resposta são-paulina, Maicon acionou Luis Fabiano pela esquerda. O atacante dominou nas costas da defesa palmeirense e bateu, mas o arremate desviou na zaga e pegou na rede pelo lado de fora. Enquanto isso, Ademilson reclamou no meio da área, pois teria melhores condições se recebesse o passe. O lance faria falta ao Tricolor, que foi castigado em jogada que teve participação de Valdivia desde o início.

Na tentativa de dar criatividade ao Palmeiras, o chileno sofreu falta de Antônio Carlos fora do lance, pela direita do ataque alviverde. Assim, aos 22, Mazinho fez a cobrança para a área, e Valdivia apareceu livre para tocar de cabeça e tirar de Rogério Ceni, marcando o gol que abriu o placar no estádio do Pacaembu.

Gazeta Press
Luis Fabiano e Lúcio se estranharam em alguns momentos no reencontro do zagueiro com o ex-time (Foto: Reginaldo Castro)
Com a vantagem no marcador, o time de Kleina percebeu que não precisaria manter tanto esforço no forte calor para pressionar a saída de bola. Assim, o Verdão recuou a marcação, deixando apenas Valdivia mais avançado. Até mesmo Alan Kardec e Leandro apareciam no combate na defesa.

Logo depois do gol, Mazinho ainda levou perigo em chute de longe, que obrigou Rogério Ceni se esticar para espalmar. O São Paulo, mesmo com três atacantes, não tinha a movimentação necessária para furar o bloqueio do Palmeiras, que ficou à espera de chances para aproveitar erros do rival. No último lance da etapa, Álvaro Pereira teve oportunidade de bater uma falta, mas a zaga do time mandante tirou pelo alto.

Na volta ao segundo tempo, os dois times não tiveram mudanças, mas o clássico esquentou. Álvaro Pereira passou a irritar os palmeirenses, que caíram na estratégia do uruguaio. Mesmo assim, o Verdão foi quem levou perigo primeiro, em cobrança de falta de longe de Mazinho, que passou por todo mundo e quase complicou a defesa de Rogério Ceni.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Rogério Ceni não conseguiu fazer a defesa em cobrança de pênalti de Alan Kardec, no segundo tempo
Pouco depois, Alan Kardec pediu pênalti em disputa com Antônio Carlos, mas o árbitro considerou tudo normal. Ao ver o palmeirense caído, Álvaro Pereira tentou empurrá-lo de campo, tirando a paciência de Wesley. Na jogada seguinte, Leandro cometeu falta no uruguaio e levou cartão amarelo. Na tentativa de dar nova opção ao São Paulo, Muricy Ramalho tirou Osvaldo e colocou Jadson, que foi relacionado neste fim de semana pela primeira vez na temporada, depois de ter recuperado a forma física.

Ao ver seu time cansado, Kleina também mudou, tirando Leandro para a entrada de Marquinhos Gabriel. Pouco depois, Wellington também precisou sair no Verdão, já que sentiu lesão e cedeu lugar ao volante França. Assim, Marcelo Oliveira foi recuado para virar zagueiro.

Muricy Ramalho ainda respondeu, tirando Ganso para colocar o garoto Ewandro. Pouco depois, Rodrigo Caio abraçou Marquinhos Gabriel na área, mas o árbitro considerou tudo normal. No lance seguinte, o árbitro não teve dúvida, marcando pênalti de Rodrigo Caio sobre Alan Kardec. Aos 34, o próprio Kardec fez a cobrança e anotou o segundo do Verdão, assegurando o triunfo do clube na volta aos clássicos. Antes do apito final, o árbitro Luiz Flávio de Oliveira ainda sentiu lesão muscular e pediu para ser substituído.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade