Futebol/Campeonato Paulista - ( )

Com gramado encharcado, "Carrossel" Audax só empata com o Rio Claro

Osasco (SP)

O Grêmio Osasco Audax impressionou os torcedores pela maneira ousada de jogar futebol, primando pelo toque de bola e evitando as ligações diretas. Porém, neste sábado, a principal característica dos comandados de Fernando Diniz foi impraticável, por causa das condições do estádio José Liberatti, que apresentou um gramado encharcado. Neste contexto, o caçula da elite paulista atuou de maneira irreconhecível e não passou de um empate sem gols com o Rio Claro, em partida válida pela oitava rodada do Campeonato Paulista.

Com o resultado, o clube osasquense chega aos 10 pontos, permanecendo na vice-lanterna do Grupo B. A equipe só leva vantagem sobre o Corinthians, lanterna, com três pontos a menos. Por sua vez, o Galo Azul figura no terceiro posto da Chave D, com 12 somados.

Curiosamente, pela manhã, o estádio José Liberatti foi palco de um embate envolvendo osasquenses e rioclarenses. Às 10 horas, em partida válida pela sétima rodada da Série A-2, o Grêmio Osasco triunfou sobre o Velo Clube, com o placar de 3 a 0.

O jogo – Diante das inúmeras poças de água presentes no gramado, que impossibilitavam os passes rápidos, o Grêmio Osasco Audax buscava trabalhar a bola em regiões menos castigadas, como a ponta direita de seu ataque. Por ali, Tchê Tchê, Denílson e Rafinha revezavam investidas que levaram perigo à meta do Rio Claro. Na principal delas, o camisa 10 osasquense encontrou Thiago Silvy livre na área, mas o centroavante falhou no domínio e viu a bola se perder pela linha de fundo.

Em muitos momentos, foi visto o Audax protagonizar os tradicionais “chutões” para frente, fato que, inicialmente, irritou o técnico Fernando Diniz. Porém, com o passar do tempo, o técnico pareceu aceitar as condições de jogo. Assim, o clube de Osasco passou a apostar em finalizações à longa distância. Com essa estratégia, aos 33 minutos, Rafinha exigiu grande defesa de Cléber Alves, que se esticou para buscar a bola em seu campo direito.

Mais adaptado ao gramado, o Rio Claro criou a mais perigosa oportunidade de gol na etapa inicial. Aos 42 minutos, Rafael Costa alçou a bola na área e viu o zagueiro Renan Diniz carimbar o travessão de Felipe Alves, com uma testada firme.

Na segunda etapa, o panorama da partida foi nítido. As chances de gol se limitavam a finalizações longas. Logo aos quatro minutos, Thiago Silvy arriscou da intermediária e levou perigo à meta rioclarense. Com 11 jogados, o camisa 9 foi acionado na área e serviu Tchê Tchê, mas o jovem finalizou por cima da meta visitante. Já Caion, que entrou no lugar de Denílson, arriscou de longe, aos 37, mas viu Cléber Alves defender.

Quando a partida se encaminhava para os acréscimos, o Rio Claro perdeu a chance de sair de Osasco com os três prontos. Aproveitando levantamento na área, feito por Carlinhos, o centroavante Alex Afonso, que entrou no lugar de André Luiz, cabeceou colocado, mas mandou a bola rente à trave mandante.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade