Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Corinthians registra B.O. e desiste de boicotar jogo com a Ponte

São Paulo (SP)

O Corinthians se posicionou através de um comunicado oficial sobre a invasão de torcedores ao CT Joaquim Grava, neste sábado. Segundo o clube, foi registrado um Boletim de Ocorrência no 62º Distrito Policial de São Paulo contra o violento ato de protesto, motivado pela má fase da equipe dentro de campo.

O Corinthians ainda confirmou que o seu elenco cogitou não enfrentar a Ponte Preta no domingo, em Campinas, em função de falta de segurança. A ideia não foi levada adiante por causa de temor por uma eventual punição da Federação Paulista de Futebol (FPF) e para honrar os compromissos televisivos e com patrocinadores.

De acordo com Júlio Stancati, médico do Corinthians, o centroavante peruano Paolo Guerrero era um dos atletas que não queriam jogar. “Foi uma situação individual. O Paolo teve um rápido contato com os torcedores que invadiram o CT. Por isso, pediu para não atuar. Não entrar em campo era uma hipótese”, comentou à Rádio Globo.

Apesar de diferenciar “a enorme maioria dos torcedores” daqueles que vandalizaram o CT, o Corinthians salientou que seus funcionários foram agredidos e ameaçados, além de terem pertences roubados pelos invasores.

Mauro Horita/Agif/Gazeta Press
Policiais militares foram chamados para controlar a manifestação no CT do Parque Ecológico do Tietê
Confira o comunicado do Corinthians na íntegra:

A diretoria do Sport Club Corinthians Paulista vem a público lamentar e repudiar profundamente os atos de vandalismo de um grupo de torcedores no CT Joaquim Grava, na manhã deste sábado (01). E comunica que lavrou Boletim de Ocorrência no 62º DP da cidade de São Paulo e se coloca à disposição das autoridades públicas para identificação e punição aos envolvidos.

A direção aproveita também para esclarecer que logo após o ocorrido, diante da truculenta invasão, o grupo momentaneamente não sentiu-se seguro de entrar em campo amanhã frente à Ponte Preta. Entretanto, o elenco quis saber antes quais seriam as possíveis punições e consequências ao clube antes de tomar a decisão.

Ao serem informados de que o clube e, consequentemente, a torcida corinthiana (importante lembrar que a enorme maioria dos torcedores do Corinthians não estava envolvida na ação deste sábado) e os patrocinadores poderiam ser severamente punidos, atletas, comissão técnica e direção chegaram à conclusão de entrar em campo amanhã.

Por fim, a diretoria volta a lamentar e repugnar a ação desta manhã, em que pessoas foram agredidas e ameaçadas, pertences foram roubados, e o patrimônio do clube violado.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade