Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Cristóvão Borges volta a lamentar saída do Bahia: "Queria continuar"

Salvador (BA)

Sem clube, o técnico Cristóvão Borges voltou a falar sobre o Bahia. Em entrevista ao jornal Correio da Bahia, o treinador reforçou a demissão do diretor de futebol Anderson Barros como o único motivo de sua saída e também revelou que deve retornar ao esporte em breve: “Quero condição de trabalho”.

Mesmo após ajudar a manter o time na primeira divisão do Campeonato Brasileiro, o comandante não concordou com o planejamento da diretoria tricolor para o ano de 2014 e, em comum acordo, desligou-se. Atualmente, Marquinhos Santos, ex-Coritiba, orienta a equipe baiana.

“Foi única e exclusivamente pela saída do Anderson (Barros). Ele mostrou competência no Bahia, foi importantíssimo pra mim, mas, no fim do ano, a diretoria tinha o direito de fazer as coisas do jeito dela”, explicou Cristóvão Borges, otimista com relação ao time desta temporada.

Divulgação
Cristóvão Borges voltou a deixar claro que saída do Bahia foi por conta da demissão do colega Anderson Barros
Durante sua passagem pelo Tricolor baiano, Cristóvão Borges foi aplaudido por ter conseguido lidar com uma das maiores crises políticas do clube, em que houve uma intervenção na presidência – Marcelo Guimarães Filho, inclusive, foi denunciado por formação de quadrilha durante sua gestão.

“Era preocupante. A autoestima dos jogadores era baixa e a torcida estava sem esperança. Começamos o Campeonato Brasileiro com briga pelo poder, dois grupos treinando em turnos diferentes e público zero, além das goleadas para o Vitória. Mas todos deram resposta”, lembrou.

Sobre o seu futuro, Cristóvão Borges revelou propostas interessantes financeiramente, mas ainda sem o planejamento ideal. “O que mais queria era continuar no Bahia ou em outro clube. Recebi propostas boas e uma muito boa, mas era forte financeiramente e nem tanto de trabalho”.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade