Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Defendendo Damião, Oswaldo diz que críticas são injustas

Do correspondente Diego Diegues Santos (SP)

Contratado por R$ 42 milhões junto ao Internacional, de Porto Alegre, Leandro Damião ainda não marcou o seu primeiro gol com a camisa do Santos. Em três partidas, o máximo que o atacante conseguiu foi uma assistência para gol. Porém, o número nove santista conta com um defensor, nada mais, nada menos que o treinador do Peixe, Oswaldo de Oliveira.

“O fundamental, e ele tem a consciência disso, é que a equipe vença. Não deveriam, mas estão desconfiando do futebol dele. Leandro é um jogador de calibre e não pode ser submetido a esse tipo de prova. Ele já provou em seleção, então quem somos nós, fora do campo, para ficarmos julgando”, disse o técnico, em entrevista coletiva, nesta quarta-feira.

Segundo o comandante alvinegro, o alto valor investido pelo Santos na compra do atacante, pode ser um fator de pressão maior em cima do artilheiro, que já vinha de um jejum de três jogos com a camisa do Internacional, antes mesmo de se transferir para o Peixe. Na temporada passada, Damião anotou 13 gols com a camisa colorada.

“Vai fazer o gol quando aproveitar a oportunidade. Não tenho dúvidas disso. Eu só acho que o valor da transação foi muito dimensionado, muito citado. Não sei se isso era necessário. Toda vez que se fazia alguma referência ao Damião não se falava sobre o valor dele como atleta, mas sim o da transação. Isso sobrecarrega. A expectativa se dá mais pelo cifrão do que pelo futebol”, ressaltou.

Desde a entrada de Leandro Damião no time titular, a média de gols do Santos abaixou. Nas cinco primeiras partidas, o Peixe marcou 13 gols, sendo duas goleadas consecutivas por 5 a 1, uma delas em cima do Corinthians. Após sua entrada foram “apenas” cinco gols em três partidas, entre elas uma derrota, na qual o centroavante cometeu um pênalti.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade