Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Estreia tímida com a 10 do Tricolor faz Ganso ser cobrado por Muricy

São Paulo (SP)

Paulo Henrique Ganso ganhou a oportunidade de realizar um sonho neste domingo, mas ficou longe de conseguir agradar Muricy Ramalho. O meia utilizou a camisa 10 do São Paulo pela primeira vez desde sua chegada em 2012 e foi duramente criticado por seu comandante. Irritado com a derrota por 2 a 1 diante da Ponte Preta, em Campinas, o técnico tricolor reclamou do posicionamento do jogador, destacando a falta de presença no campo ofensivo.

"Isso é um defeito que ele (Ganso) tem. Pra ele, é melhor dar o passe do que fazer o gol. Em duas ou três vezes de cara para gol, ele preferiu passar. É cosia dele, difícil de corrigir. No Santos era igual. Era muito difícil para fazer gol. Preferia passar do que chutar. Hoje, o número 10 tem que fazer gol, entrar na área. Esse é outro defeito que ele tem. Os meias, hoje em dia, fazem a diferença chegando na área”, criticou Muricy, visivelmente insatisfeito com a atuação de Ganso.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Antes com a número 8, Paulo Henrique Ganso atuou com a camisa 10 do São Paulo pela primeira vez neste domingo
O meia tricolor recebeu a camisa 10 na última sexta-feira, depois de ver o São Paulo confirmar a saída de Jadson para o Corinthians. A troca já havia sido cogitada no começo do ano passado, à época da mudança de fornecedora de material esportivo, mas a ideia não foi levada adiante para não enciumar o agora jogador de Mano Menezes no clube do Parque São Jorge.

Ao ficar ciente de que receberia a nova numeração, Paulo Henrique Ganso afirmou que estava honrado por vestir a nova camisa. O meia projetou um estilo de jogo mais clássico, característica marcante daqueles que usam este tradicional número, mas ficou bem abaixo das expectativas, principalmente de Muricy Ramalho, que afirmara, logo na chegada do jogador revelado pelo Santos, que finalmente a equipe tinha um camisa 10 típico.

Mesmo com a atuação decepcionante, Ganso terá mais chances de mostrar serviço ao comandante do clube do Morumbi, até mesmo porque o atual elenco não conta com opções de peso para o setor. O reserva imediato do atual camisa 10 é o garoto Boschilia, que brilhou na Copa São Paulo de Futebol Júnior e ainda vai se adaptando ao time profissional. O argentino Cañete, por sua vez, tem entrado como segundo atacante.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade