Futebol/Copa Libertadores da América - ( - Atualizado )

Flamenguistas culpam expulsão e bola parada por derrota no México

León (México)

A estreia do Flamengo não foi como o torcedor rubro-negro. Nervoso em campo, o time brasileiro teve um jogador expulso logo aos 12 minutos de jogo, apresentou falhas em sua defesa a cada cruzamento para a área e acabou sendo derrotado por 2 a 1 pelo León, do México. Na saída de campo, os jogadores do time da Gávea não tiveram dúvidas ao citar os fatores que levaram ao revés.

“De maneira alguma pode perder um jogador no início. Sabemos que é difícil correr atrás na Libertadores. Pressão, bola alçada, e realmente sofremos bastante. Lutamos, mas não foi o necessário”, disse o lateral André Santos, que foi acompanhado pelo capitão Léo Moura.

“Você acaba correndo mais, se desgastando mais e sempre sobra um”, lamentou o lateral do Flamengo, ciente da dificuldade criada por causa da expulsão do volante Amaral. Mesmo saindo atrás do placar, o time brasileiro buscou o empate, mas acabou falhando na bola aérea, depois de ainda ver os mexicanos desperdiçarem uma cobrança de pênalti no segundo tempo.

“Libertadores é assim. Não dá para achar que vai ser mole. Treinamos muito, sabíamos que a bola parada era o forte deles, então é chato sair derrotado com um gol de bola parada. Fiz o que pude, mas trocaria minhas defesas por uma vitória ou até um empate. Não dá para continuar errando assim”, avaliou Felipe, o melhor jogador do Flamengo em campo.

Melhor desde o começo da partida, o León pressionou o Flamengo e exigiu bastante do goleiro adversário. A parte ofensiva do time rubro-negro quase nada conseguiu fazer e balançou as redes apenas na bola parada. Ainda assim era pouco, já que os mexicanos seguiram no ataque até se aproveitarem de uma falha de posicionamento para deixar tudo igual.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade