Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Flu admite necessidade, mas não tem pressa para reforçar elenco

Gazeta Press Rio de Janeiro (RJ)

A diretoria do Fluminense fez até o momento três contratações para a sequência da temporada. Chegaram nas Laranjeiras os meias Darío Conca, que estava no futebol chinês, e Chiquinho, que se destacou pela Ponte Preta no Campeonato Brasileiro, e principalmente o atacante Walter, atração do Goiás no Brasileirão. Os nomes agradaram a maioria dos torcedores, que se manifestaram positivamente nas redes sociais. Apesar disso, as cobranças ainda acontecem.

Os torcedores do Fluminense reclamam que mais uma vez o clube não contratou nenhum zagueiro, posição que vem tirando o sono da torcida durante as partidas há pelo menos um ano. Duas temporadas atrás, quando o técnico Abel Braga disse que o Tricolor tinha zaga para cinco temporadas, foi motivo de chacota pela própria torcida. Muitos colocam na conta do setor boa parte da culpa pelo rebaixamento para a Segunda Divisão do Brasileiro. Apesar disso, os dirigentes se mostram tranquilos com Gum e Elivélton, hoje titulares, e com o reserva Leandro Euzébio, um dos mais hostilizados pelos gritos da arquibancada.

Ainda com as reclamações, os nomes colocados na mídia como possíveis reforços para o Fluminense são de outros setores. Fala-se no atacante Osvaldo, do São Paulo, que seria envolvido em uma troca com o meia Wágner. Porém, a chegada de zagueiros de nome não é ventilada.

Divulgação/Fluminense F.C.
Após um fim de 2013 traumatizante, o Fluminense se reergueu e vem fazendo um bom início de Campeonato Carioca

"Acho que o Fluminense precisa ter tranquilidade para contratar. Estamos com um bom elenco para a disputa do Campeonato Carioca e para as primeiras fases da Copa do Brasil. Os resultados estão mostrando isso. Claro que para o Campeonato Brasileiro e para as fases mais agudas da Copa do Brasil vamos precisar melhorar o nosso grupo. Porém, não podemos nos precipitar, contratar de qualquer jeito", disse Ricardo Tenório, vice-presidente de futebol do Fluminense e um dos principais articuladores do clube quando o assunto é a chegada de reforços.

Além de observar o mercado, o Fluminense também espera com expectativa a eleição para a presidência da Unimed, que vai acontecer no dia 25 de fevereiro, na próxima semana. Isso porque pela primeira vez depois de muitos anos, Celso Barros está ameaçado de perder a presidência. Torcedor ilustre do clube, ele tem sido responsável pelas grandes contratações do Tricolor nos últimos anos. O apoio firme da patrocinadora foi determinante para os títulos recentes. Claudio Salles, candidato de oposição, não descarta o fim da parceria caso seja eleito, algo que é tratado com certo temor nos corredores das Laranjeiras. O novo presidente da Unimed tomará posse em 1 de abril.

Dentro de campo o elenco, que ganhou folga no domingo, se reapresentou nesta segunda-feira e começou a preparação para o duelo contra o Macaé, nesta quarta-feira, às 19h30 (de Brasília), no Estádio Cláudio Moacyr, em Macaé, pela nona rodada do Campeonato Carioca. O técnico Renato Gaúcho só vai confirmar a escalaçãqo que pretende mandar a campo após o treino desta terça-feira, mas não está descartada a possibilidade dele preservar alguns titulares de olho no clássico do próximo domingo, diante do Botafogo.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade