Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

FMF revela preocupação de Marín com pós-Copa da Arena Pantanal

Arthur Carvalho, especial para a GE.net Cuiabá (MT)

Mesmo com a empolgação crescente à medida que a Copa do Mundo se aproxima, o torcedor estreita os olhos quanto ao tão discutido legado que ficará após a competição. A maior parte da preocupação gira em torno do destino das modernas arenas construídas em capitais que não têm futebol de nível nacional. Em Cuiabá, pelo menos, a Federação Mato-grossense de Futebol (FMF) não quer decepcionar o presidente da CBF, José Maria Marín, e parece já ter a receita para que a Arena Pantanal não vire um “elefante branco”.

“Estamos programando porque o presidente da CBF esteve aqui e nos questionou sobre como faríamos o estadual, porque, se teremos um bom estádio aqui, de Copa do Mundo, não pode ter um campeonato só com dez times”, explica Luiz Wellington da Silva em entrevisa exclusiva à GazetaEsportiva.Net, esclarecendo que o regulamento do estadual do Mato Grosso deve sofrer alterações nos próximos anos.

O formato do torneio tem criado polêmica no estado. Divididas em duas chaves na primeira fase, os 11 clubes disputariam oito vagas nas quartas de final da edição deste ano. Porém, devido à desistência de duas equipes dias antes de a competição começar, houve cancelamento de jogos e um desequilíbrio no número de times nos dois blocos. Como consequência, todos os participantes da chave A jogaram sabendo que, independentemente dos resultados, estariam classificadas para a fase seguinte.

Secopa/Divulgação
A menos de quatro meses da Copa, obras do estádio ainda não estão concluídas (foto: Edson Rodrigues/Secopa)
Como o regulamento do Campeonato Mato-grossense foi alterado neste ano para acolher o Vila Aurora, que no ano passado ganhou no STJD o direito de disputar a competição, o formato visando o melhor aproveitamento da Arena Pantanal só poderá ser reformulado em 2016, já que o Estatuto do Torcedor não permite duas alterações em período mais curto.

“Temos que aproveitar o legado da Copa do Mundo”, lembra Luiz Wellington. “Mas só podemos mudar (o regulamento do campeonato) a cada dois anos, então a ideia fazer a segunda divisão subindo quatro times. Mas temos que discutir isso com todos os clubes, porque não faço campeonato para a federação, e sim para as equipes”, garante o mandatário da FMF.

De qualquer forma, os organizadores do Campeonato Mato-grossense devem encontrar dificuldades para lotar o novo estádio, que terá capacidade de 44 mil pessoas após a Copa. A média de público da edição passada do estadual, por exemplo, foi de 609 pagantes por jogo, número que, em todo o País, só é melhor que os de Tocantins, Rondônia e Acre.

A inauguração da Arena Pantanal está marcada para o próximo dia 2, quando o Mixto-MT recebe o Santos pela partida de ida da primeira rodada eliminatória da Copa do Brasil. Durante a Copa do Mundo, o estádio recebe quatro partidas da fase de grupos, são elas: Chile x Austrália; Rússia x Coreia do Sul; Nigéria x Bósnia; e Japão x Colômbia.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade