Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Gabriel marca gol 12 mil, e Santos repete goleada por 5 a 1 na Vila

Santos (SP)

O Santos segue imbatível na Vila Belmiro. Neste sábado, o Peixe aplicou segunda goleada consecutiva na competição. A vítima desta vez foi o Botafogo-SP, que sucumbiu à boa atuação de Geuvânio, autor de um gol, três assistências e vítima de um pênalti, perdido por Cícero. O camisa 8 do Peixe, Emerson e Gabriel (duas vezes) fecharam a goleada santista. O segundo gol do jovem camisa 9 santista foi o de número 12 mil da história santista. Hudson, após falha de Aranha, marcou para os visitantes.

A partida ainda marcou a estreia do atacante Rildo com a camisa do Santos. Apesar de ter sido anunciado depois, o destaque da Ponte Preta na última temporada fez o primeiro jogo pelo Peixe antes de Leandro Damião, que acompanhou a partida deste sábado em um dos camarotes da Vila.

Com a vitória, o Santos subiu para 13 pontos e aumentou a vantagem na liderança do Grupo C, já que o São Bernardo, vice-líder, empatou com o Ituano mais cedo. Já o Botafogo-SP, que tem nove pontos, pode perder a liderança do Grupo B neste domingo. XV de Piracicaba e Corinthians (ambos com seis pontos) ameaçam a supremacia botafoguense.

O Santos volta a campo na próxima quinta-feira, quando enfrenta o Linense na cidade de Lins. Na terça, o Botafogo-SP recebe o Oeste em Ribeirão Preto.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Gabriel comemora o quarto gol do Peixe, o de número 12 mil na história do Santos Futebol Clube
O jogo -O Botafogo-SP começou a partida dificultando a saída de bola, e Neto, após errar um passe na defesa, aos dois minutos, cometeu falta. Na cobrança, Camilo obrigou Aranha a fazer grande defesa.

Dois minutos mais tarde, Leandrinho dominou a bola no círculo central e tocou em profundidade para Geuvânio, que invadiu a área em velocidade, passou pelo goleiro Gilvan e finalizou, abrindo o placar para o Santos.

Geuvânio voltou a ser protagonista aos 11 minutos. O atacante pedalou para cima de Henrique Mattos, e, já dentro da área, foi derrubado pelo zagueiro do Botafogo. Na cobrança do pênalti, Cícero bateu rasteiro buscando o canto direito de Gilvan, mas mandou a bola para fora.

O Santos cometeu algumas falhas de posicionamento defensivo no primeiro tempo. Os erros quase resultaram em gol do Botafogo aos 25, quando Marcelo Macedo dominou livre na entrada da área, mas finalizou mal, nas mãos de Aranha.

Arte GE.Net
A melhor chance do Botafogo-SP foi perdida aos 37. Hudson entrou na área, tabelou com Wellington Bruno e deu um corte seco no zagueiro Gustavo Henrique. Buscando o ângulo direito de Aranha na finalização, o volante exagerou na força e mandou a bola por cima do gol.

Leandrinho tentou surpreender o goleiro Gilvan aos 41. O jovem santista recebeu passe e, de primeira, chutou colocado tentando encobrir o goleiro botafoguense, que conseguiu retornar à meta e dar um tapa para escanteio.

Cícero se redimiu do pênalti perdido aos 46. Thiago Ribeiro puxou contra-ataque lançando Arouca, que passou para Gabriel. A revelação santista foi ao fundo e cruzou para a área. Arouca passou pela bola, mas Geuvânio pegou a sobra e tocou no meio para Cícero: com calma, o capitão santista só rolou para o gol.

Uma falha de Aranha proporcionou a diminuição do placar. Após escanteio cobrado pela direita, o goleiro santista saiu para tentar interceptar o cruzamento, falhou, e Hudson, revelado pelo Peixe, completou para o gol vazio.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Ao lado de Gabriel, o também jovem Geuvânio foi o destaque do Santos na goleada sobre o Botafogo-SP
Geuvânio apareceu mais uma vez aos 20 minutos, desta vez para servir Gabriel. O zagueiro Lima falhou ao tentar interceptar o passe para o camisa 9 santista, que, com um sutil toque de esquerda, deslocou Gilvan e marcou o terceiro do Peixe.

Três minutos mais tarde, Aranha deu um chutão para frente, a dupla de zaga do Botafogo-SP teve um momento de indecisão e a bola sobrou para Gabriel. A revelação santista entrou na área e, com um forte chute de esquerda, fez o quarto do Santos no jogo e o de número 12 mil da equipe em sua história.

O estreante Rildo fez linda jogada aos 44, livrando-se da marcação próximo à linha de fundo e rolando para Emerson, que só empurrou para o gol.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade