Futebol/Campeonato Paulista - ( )

Gobbi só admite cobrar Mano por triunfos quando reformulação acabar

Luiz Ricardo Fini São Paulo (SP)

O presidente do Corinthians, Mário Gobbi, avisou que não vai pressionar o técnico Mano Menezes neste período de reformulação no clube. Apesar da série de quatro derrotas consecutivas no Campeonato Paulista, o mandatário explicou que nem cogita demissão e só vai cobrar o treinador quando a equipe estiver pronta.

“De sete anos para cá, o Corinthians tem como filosofia não demitir treinador. Sabemos o trabalho que o Mano tem pela frente, e ele está fazendo muito bem. O momento não é de cobrar por resultado. Quando o time estiver pronto, aí sim vou cobrar”, afirmou.

Mano Menezes foi contratado para assumir o lugar que era de Tite, com a missão de dar um novo ânimo à equipe, que teve um desempenho abaixo do esperado no segundo semestre de 2013. Porém, o treinador vem enfrentando dificuldades, tendo apenas duas vitórias em seis jogos do Estadual.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Mário Gobbi explicou que só passará a cobrar Mano Menezes no momento em que o time estiver pronto
Por isso, a diretoria realiza uma reformulação, promovendo as saídas de Douglas, Ibson e Alexandre Pato para Vasco, Bologna e São Paulo, respectivamente. Gobbi tem certeza de que Mano conduzirá bem a reestruturação, citando como exemplo a primeira passagem do treinador pelo Alvinegro.

“Ele já fez este trabalho em 2008, tanto que saiu depois para a Seleção. Ele deixou o time em primeiro, com 12 pontos de diferença (no Brasileiro de) 2010, pena que quem chegou não deu sequência ao que vinha sendo feito. Não estamos sem norte, tudo o que é feito tem base em estudo”, comentou o mandatário.

O substituto de Mano Menezes em 2010 foi Adilson Baptista, que acabou demitido pouco tempo depois, contrariando o discurso de Gobbi de que o Corinthians não tem o costume de demitir treinadores.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade