Futebol/Copa Libertadores da América - ( )

Hungaro se exime de méritos por 4 a 0: “Vitória é dos jogadores”

Rio de Janeiro (RJ)

Com a missão de substituir Oswaldo de Oliveira, Eduardo Hungaro começou a temporada muito pressionado por resultados. Sendo assim, ainda sob questionamentos, o treinador conquistou um importante resultado nesta quarta-feira. Com uma goleada por 4 a 0 sobre o Deportivo Quito, o Botafogo, diante de 50 mil torcedores, garantiu uma vaga na fase de grupos da Libertadores.

Apesar do feito no Maracanã, Eduardo Hungaro manteve um discurso bastante humilde e afirmou que a classificação não é mérito dele. Ao afirmar que o atual elenco alvinegro é uma família, o treinador ressaltou que a vitória pertence aos jogadores, que vêm mostrando muito empenho neste início de ano.

“Essa vitória é dos jogadores. Esses caras são especiais. O valor desses rapazes não dá para medir. É um grupo que gosta de trabalhar, muito maduro, e sabe o que quer. Por vezes, não vamos conseguir atingir o que queremos, mas ninguém vai ficar mais frustrado do que eles. Formamos um grupo que é uma família. Se continuar assim, vamos conseguir muitas coisas legais”, destacou Eduardo Hungaro.

O comandante do time de General Severiano também falou sobre a importância dos jogadores mais experientes no time. Na goleada desta quarta-feira, Hungaro aprovou a atuação de atletas como Marcelo Mattos, Jorge Wagner, Lodeiro, Ferreyra e Bolívar, que ajudaram a orientar os menos acostumados com uma decisão pela Libertadores.

“São jogadores que vivenciaram muitas vezes essa situação e foram brilhantes, solidários, humildes, práticos, jogaram no sentido da baliza (gol) adversária. Eles variaram várias situações e deixaram a defesa adversária sem conseguir identificar o que a gente faria em cada jogada”, avaliou Eduardo Hungaro, que também aprovou a consistência defensiva de sua equipe.

“Não podemos esquecer que temos o melhor goleiro do Brasil, em minha opinião, e na frente dele tem um sexteto defensivo muito entrosado. Isso dá uma segurança para os jogadores da frente ter liberdade para atacar”, concluiu o treinador, que espera manter o bom trabalho agora pelo Grupo 2 da Libertadores, ao lado de Unión Española-CHI, San Lorenzo-ARG e Independiente del Valle-EQU.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade